Notícias de Mato Grosso do Sul e Campo Grande

Advogado vinculado a ex-assessor de Trump é acusado na investigação da trama russa

Van Der Zwaan também foi acusado de fazer declarações falsas ao FBI

O procurador especial dos Estados Unidos que investiga a trama russa nas últimas eleições americanas acusou de falso testemunho um advogado vinculado a um ex-assessor do presidente Donald Trump nesta terça-feira (20).

Robert Mueller, que lidera as investigações sobre um eventual conluio entre a campanha de Trump e Moscou para ganhar as eleições em 2016, acusou o advogado Alex Van Der Zwaan de mentir ao FBI sobre suas conversas com Richard Gates, ex-assessor da campanha do atual presidente.

Van Der Zwaan, um advogado do escritório Skadden Arps, com sede em Londres, também foi acusado de fazer declarações falsas ao FBI sobre seu contato com outra pessoa não identificada, segundo a acusação.

O advogado representou a Skadden Arps no trabalho realizado para o governo na Ucrânia, em 2002, durante o julgamento da ex-primeira ministra Yulia Tymoshenko por corrupção.

Na época, Gater e o ex-chefe da campanha de Trump, Paul Manafort, trabalharam para o então presidente da Ucrânia e aliado da Rússia, Viktor Yanukovych, destituído após protestos contra a corrupção no país em 2014.

Gates e Manafort, que segundo registros do governo da Ucrânia ganharam milhões de dólares por um trabalho para Yanukovych que não foi registrado, foram acusados por Meuller no ano passado por lavagem de dinheiro e outras crimes relacionados a impostos.

A equipe de Mueller disse na sexta-feira que teria descoberto provas de fraude bancária por parte de Manafort que não estavam contempladas nas acusações anteriores.

O procurador especial acusou na sexta-feira 13 cidadãos russos de suposta intromissão na política americana.

O trabalho de Mueller também se concentra em entender se Trump tentou obstruir a investigação sobre o caso russo.

A Casa Branca negou as acusações de irregularidades.

Você pode gostar também