Incêndio florestal mata ao menos 19 pessoas e deixa outras 21 feridas em Portugal

Vítimas morreram carbonizadas ao passar por rodovia

Incêndio florestal, neste sábado (17), deixou ao menos 19 mortos e 21 feridos no centro de Portugal. Maior parte das vítimas, segundo a Secretaria de Estado de Administração, foi carbonizada ao trafegar por rodovia entre Figueiró dos Vinhos e Castanheira de Pera.

“Temos a confirmação de 19 mortos, todos civis. Três faleceram por inalação de fumaça e 16 calcinados em seus carros quando foram cercados pelas chamas”, explicou o Secretário de Estado da Administração Interna, Jorge Gomes. “Incêndio se estendeu de uma forma que não tem explicação absolutamente nenhuma”.

Autoridades locais confirmaram que as chamas tiveram início por volta das 14h. Dentre os 21 feridos, que incluem bombeiros, dez estão em estado grave. Outras duas pessoas seguem desaparecidas na área de Pedrógão Grande, no distrito de Leiria (centro do país).

O presidente da República, Marcelo Rebelo de Sousa, assim como o premier António Costa foram ao local na noite deste sábado. Já o presidente da Câmara Municipal de Pedrógão Grande, Valdemar Alves, alertou que aldeias estavam “completamente cercadas” pelo fogo.

Diversos carros de bombeiros foram destruídos pelas chamas. O diário Público, assim como a imprensa portuguesa, trata o caso como um dos mais mortais incêndios florestais. Isso depois de caso similar, em 1966, matar 25 militares que combateram por sete dias o fogo em Cintra. 

Incêndio florestal mata ao menos 19 pessoas e deixa outras 21 feridas em Portugal
Mais notícias