Canadá expulsa embaixador venezuelano em resposta à medida do país

Embaixador do Brasil também foi expulso da Venezuela

Após o anúncio feito pelo governo da Venezuela, no sábado passado (23), que tornou os embaixadores brasileiro e canadense ‘persona non grata’, o governo Canadá divulgou, nesta segunda-feira (25), a expulsão do diplomata encarregado de negócios da embaixada da Venezuela no país. O Itamaraty informou que não foi informado oficialmente e que deve agir em reciprocidade se o fato for confirmado.

O chefe do Ministério das Relações Exteriores canadense, Chrystia Freeland, disse em pronunciamento que o embaixador de Caracas “não é bem vindo de volta” – já que está de férias em seu país-natal, conforme divulgado pelo Terra Noticias.

A presidente Assembleia Constituinte, Delcy Rodríguez, alegou que o motivo por declarar o diplomata canadense de negócios como “persona no grata” seria “insistente e grosseira intromissão nos assuntos internos”.

Por sua vez, Freeland alegou que “essa ação é típica do regime [Nicolás] Maduro, que tem constantemente minado todos os esforços pela restauração da democracia e ajuda ao povo venezuelano”.

“Os canadenses não vão ficar quietos enquanto o governo da Venezuela rouba de seu povo a democracia e os direitos humanos fundamentais, e veta o acesso à assistência humanitária básica”, acrescentou.

Além do diplomata canadense, o governo venezuelano também declarou como “persona non grata” o embaixador brasileiro no país, Ruy Carlos Pereira. Em nota, o Itamaraty afirmou que “essa decisão demonstra, uma vez mais, o caráter autoritário da administração Nicolás Maduro e sua falta de disposição para qualquer tipo de diálogo” e que se confirmado “o Brasil aplicará as medidas de reciprocidade correspondentes”.

Mais notícias