Um mês depois de terremoto que matou mais de 600, Equador registra tremor de 6,7 graus

Tremor foi próximo à capital Quito

Cerca de um mês depois do terremoto que deixou centenas de mortos e feridos, o Equador voltou a ser atingido por um abalo sísmico. Desta vez, o tremor teve 6,7 na escala Richter e o epicentro foi a 165 km da capital Quito, de acordo com o CSEM (Centro Sismológico Euro-Mediterrâneo) e o jornal português Diário de Notícias.

O USGS (Serviço de Geologia dos Estados Unidos) afirma que estão descartadas as possibilidades de tsunami decorrente do abalo. As autoridades do Equador não registraram vítimas e prejuízos materiais até o momento. O primeiro abalo foi sentido em vários bairros de Quito, sendo seguido de réplicas variadas. Uma delas, segundo o Instituto de Geofísica do Equador, foi de 5,4 graus de magnitude.

Terremoto de abril

O sismo de 16 de abril deixou mais de 7600 famílias sem casa. Eles estão alojados em albergues e em acampamentos, mantidos por autoridades locais e por grupos de ajuda humanitária. Na ocasião, foram registrados 7,8 graus na escala Richter e cerca de 660 pessoas morreram.

Além disso, os sistemas de abastecimento de água foram danificados, junto a 33 centros de saúde, 560 escolas e ao menos 10 mil edifícios, segundo informações da Unicef (Fundo das Nações Unidas para a Infância).

(Sob supervisão de Daiane Libero)

Um mês depois de terremoto que matou mais de 600, Equador registra tremor de 6,7 graus
Mais notícias