Terremoto no Equador que causou tsunami em 4 países já deixou 233 mortos

Governo deve investir R$ 1 bilhão em serviços de emergência

Subiu para 233 o número de mortos por consequência do terremoto que atingiu o Equador nesse sábado (16), segundo o presidente do país. Informações iniciais do governo falavam em 77 mortos. O tremor foi registrado pelo USGS (Serviço Geológico dos Estados Unidos), próximo à cidade equatoriana Muisne, e atingiu a magnitude de 7,8 na escala Richter.

Rafael Correa, presidente do Equador, divulgou os novos números em seu perfil do Twitter. O presidente também declarou estado de emergência nas regiões mais atingidas pelo tremor. Segundo Correa, o governo liberou 3 mil cestas básicas, 7,6 mil colchões e cobertores e 10 mil garrafas de água às famílias afetadas.

O vice-presidente, Jorge Glas, afirmou que foram disponibilizados 241 médicos e paramédicos da Cruz Vermelha para atender às vítimas da tragédia, além de 4,6 mil policiais e 10 mil membros das forças armadas. Mais de R$ 1 bilhão teriam sido destinados às ações de emergência pelo governo.

O terremoto foi o mais forte ocorrido no Equador desde 1979. A capital do país, Quito, ficou sem energia por algum tempo, segundo a agência de notícias Reuters. O Centro de Alerta de Tsunamis Pacífico informou que há pouca possibilidade de um tsunami atingir a costa do país.

Terremoto no Equador que causou tsunami em 4 países já deixou 233 mortos
Mais notícias