Quatro são presos por suspeita de causar incêndios em Portugal

País enfrenta onda que deixou mortos e evacuou cidades

A Polícia Judiciária portuguesa deteve quatro homens suspeitos de atear fogo em florestas no país.  Portugal passa por uma onda de incêndios que já destruiu mais de 1.500 hectares de selva e matou ao menos cinco pessoas, além de motivar a evacuação de cidades. A situação é especialmente crítica na região do Porto e na Ilha da Madeira.

De acordo com a agência portuguesa de notícias Lusa, os quatro suspeitos confessaram à polícia a autoria dos crimes durante interrogatório. Eles cumprem prisão preventiva e aguardam julgamento. As autoridades portuguesas chegaram a cogitar a possibilidade de ação de grupos terroristas.

Os presos são trabalhadores do campo, sendo um pastor e três agricultores, com idades entre 26 e 54 anos. Desde o início do ano, a polícia de Portugal deteve 36 pessoas por incêndios florestais criminosos. Um jovem de 24 anos já havia sido preso pela onda recente de incêndios.

A agência estatal russa Sputnik afirma que incêndios criminosos não são novidade em Portugal, que todos os anos enfrenta o problema no mês de agosto. No entanto, a quantidade e a intensidade da onda deste ano surpreenderam as autoridades e a população, com dados jamais vistos.

Quatro são presos por suspeita de causar incêndios em Portugal
Mais notícias