Evo Morales critica ação que pode suspender Venezuela da OEA

"Irmão Almagro, não seja instrumento de intervencionismo", disse o boliviano

Após o secretário-geral da OEA (Organização dos Estados Americanos) ativar a Carta Democrática à Venezuela, podendo suspender o país da entidade, o presidente boliviano Evo Morales reagiu chamando a ação de “agressão” e pedindo que Luis Almagro não seja “instrumento de intervencionismo”.

Morales utilizou sua conta no Twitter para pedir ao uruguaio que não avance no processo. “Irmão Almagro, não seja instrumento de intervencionismo ao povo revolucionário da Venezuela”. Almagro havia apresentado um relatório onde afirma que a Venezuela sofre uma “alteração da ordem constitucional que afeta gravemente a ordem democrática”.

De acordo com a agência de notícias Efe, Morales havia afirmado há duas semanas que a OEA não pode funcionar como “Ministério de Colônias dos EUA”. Ele havia criticado Almagro por uma troca de acusações entre o uruguaio e o presidente da Venezuela, aliado do boliviano.

Evo Morales critica ação que pode suspender Venezuela da OEA
Mais notícias