Com ventos de 170 km/h, tufão deixa 17 mortos e 14 desaparecidos nas Filipinas

Outras catorze pessoas estão desaparecidas

Pelo menos dezessete pessoas morreram e outras catorze estão desaparecidas após a passagem pelo norte das Filipinas do tufão Goni, que teve rajadas de vento de até 170 km/h e foi acompanhado de fortes chuvas, informara a rede BBC nesta segunda-feira. Segundo o último relatório da Agência de Gestão e Redução de Risco de Desastres das Filipinas, a tempestade deixou também mais de vinte feridos e provocou o deslocamento de mais de 72.000 pessoas.

O tufão, que já se encontra fora de território filipino e se afasta, causou deslizamentos de terra, inundações, tornados e o transbordamento de rios. Mais de mil residências foram destruídas na cidade de Bacnotan, no norte das Filipinas, e a força das águas e dos ventos também bloquearam dezenas de estradas e derrubaram sete pontes. Os danos na rede elétrica provaram interrupções no fornecimento de energia em 81 municípios.

A Agência de Gestão e Redução de Risco de Desastres calcula que os danos causados pelo tufão em infraestruturas e agricultura chegam a 3,5 milhões de dólares (mais de 10 milhões de reais). Os efeitos da tempestade de vento afetaram o tráfego aéreo na região e foram cancelados 250 voos. O tufão também fez com que a companhia ferroviária cancelasse hoje todos seus trens locais e de alta velocidade.

Entre 15 e 20 tufões passam todos os anos pelas Filipinas durante a temporada de chuvas, que começa em junho e prossegue até em novembro. Neste ano, o Goni já o 15º tufão a passar pelo país.

 

Mais notícias