Vaticano liberta ativista do Femen que atacou presépio

Iana Aleksandrovna foi proibida de entrar no .

A Justiça do ordenou neste sábado, dia 27, a liberdade da integrante do Femen que atacou o presépio da praça São Pedro após a benção de Natal do papa Francisco.

Iana Aleksandrovna, no entanto, está proibida de voltar a entrar “na Cidade do , na Basílica e em outros lugares extraterritoriais” da Santa Sé, informou o porta-voz Federico Lombardi.

“O Promotor de Justiça reuniu-se nesta manhã com Aleksandrovna.

Ele avaliou a prisão feita pela Gendarmeria no dia de Natal pelos crimes que havia cometido. Ele permitiu sua libertação, mas ordenou sua proibição de entrar no ”, explicou Lombardi.

Aleksandrovna foi detida ao tentar atacar o presépio da praça São Pedro depois da benção “Urbi et Orbi” (“À cidade de Roma e ao mundo”), realizada tradicionalmente pelo Papa nos dias de Natal e Páscoa.

Com os seios à mostra e a frase “Deus é mulher” escrita em seu corpo, ela chegou a pegar uma imagem do menino Jesus, mas foi logo coibida por um agente da vigilância vaticana. Naquele momento, cerca de 80 mil pessoas lotavam a praça São Pedro. A ativista deveria responder vilipêndio, atos obscenos em lugares públicos e furto.

Histórico – O grupo tem a Igreja Católica como um dos principais alvos de seus protestos, mas essa foi a primeira vez que uma de suas integrantes foi presa pela cidade-Estado. Em todas as outras ocasiões, as mulheres haviam sido liberadas ou levadas pela polícia italiana. 

 

Vaticano liberta ativista do Femen que atacou presépio
Mais notícias