Notícias de Mato Grosso do Sul e Campo Grande

Idoso de quase 70 anos se forma em Jornalismo e realiza sonho de infância

Urias de Campos mostrou ao Brasil que nunca é tarde para estudar e realizar um sonho

Urias de Campos, de 69 anos, colou grau e se tornou jornalista em Jundiaí, cidade do interior paulista, no último dia 5 de fevereiro. O idoso, ao lado dos amigos, foi aplaudido de pé ao receber o canudo que tanto sonhava desde a infância pela conclusão do curso de jornalismo pela UNIFACCAMP – Centro Universitário Campo Limpo Paulista. As informações são da Tribuna de Jundiaí.

“Com a colação de grau me sinto realizado. Agradeço a Deus, meus amigos de sala e ao corpo docente da faculdade, além do pessoal do estúdio”, diz orgulhoso de mais uma conquista.

Sonho de Infância

O sonho de Urias começou quando ele ainda era uma criança e ouvia programas de rádio de profissionais consagrados, como Vicente Leporace, Henrique Lobo, Walter Silva, Pedro Luiz Paoliello, Fiori Gigliotti, Edson Leite, Geraldo José de Almeida e Jorge Curi. Com ou ouvido colado para ouvir estas lendas, ele se apaixonou pelo radiojornalismo.

Urias diz que sempre sonhou em trabalhar com a comunicação, mas que não teve condições financeiras para investir nos estudos quando mais jovem. “Para entrar no ginásio tinha que fazer uma espécie de admissão e eram poucas vagas no colegial. Pensar em faculdade? Estudar fora? Jamais, naquela época pobre não tinha esse direito”, conta.

Rotina Apertada

A rotina de estudos foi um novo desafio após Urias ingressar na universidade. “Não foi fácil chegar até aqui devido ao meu trabalho. Fiz vários vestibulares, mas na hora de começar, não podia por causa do horário”, relata.

Mas, em 2015 tudo mudou e finalmente conseguiu conciliar seus horários. Ele contou que se assustou ao encontrar cerca de 100 alunos em sala de aula e pensou em desistir. “Eu sentava no fundo e tinha dificuldade para enxergar e ouvir os professores. Mas, aos poucos consegui me adaptar e comecei a sentar mais próximo da lousa”.

A rotina se tornava cada vez mais exaustiva para o idoso, que é agente operacional judiciário em Franco da Rocha (SP). Ao sair do serviço, ele ia direto para a universidade e saia às 22h30, quando ainda tinha de chegar na estação para pegar o trem.

“Cheguei ao oitavo semestre aos trancos e barrancos. Quase desisti por problemas de saúde, mas depois pensei: ‘Já que cheguei até aqui, não vou desistir agora. Será covardia da minha parte’”.

Foto: Reprodução/TribunadeJundiaí

Perseverança

A recepção dos colegas e professores foi imprescindível para Urias se sentir confortável e persistir em seu sonho. “Sempre observei o seu Urias de uma maneira diferente dos outros alunos. Via nele a vontade de realizar o sonho de se formar em uma universidade.

Vi também a adaptação dele ao universo ‘jovem’ que não é fácil. Mas, ele sempre se esforçou para acompanhar o ritmo puxado e os trabalhos, e isso era o que eu mais avaliava”, explica um de seus professores, Rafael Mattoso Galdino.

Em sala de aula, Urias sempre se mostrou prestativo e dedicado, segundo sua colega da turma, Nádia Antunes.
“Tínhamos que debater ideias em aula e ele sempre dava sua opinião com firmeza, apesar da timidez. Além de sempre ouvir e respeitar a opinião dos outros sobre do assunto que era discutido”.

Para quem quer começar a estudar mas tem receio por causa da idade, o idoso deixa um recado: “Deixem o preconceito e o medo de lado. A idade não é empecilho para nada, ainda mais quando se trata de adquirir conhecimento”.

Você pode gostar também
Comentários
Carregando...