Co’Ser: bebês ficam compenetrados e adultos maravilhados com uma peça de teatro

Peça será apresentada neste sábado no Sesc Cultura

Não são somente os bebês que se divertem com o espetáculo Co’Ser, o teatro para bebês encenado pela Urgente Cia. Adultos se deliciam, não exatamente – ou principalmente – com a performance dos atores, mas com a reação das crianças.

Bebês atentos. | Foto: Tatiana Marin

Simplicidade. Poucas palavras. Atuação intensa. Assim é o espetáculo que está sendo apresentado no Sesc Cultura no mês de novembro, e isso faz com que os pequenos fiquem atentos. Alguns até acabam participando da encenação.

São aproximadamente 40 minutos de espetáculo, em que a personagem, uma costureira que cria e conserta bonecas, acaba descobrindo sobre si mesma. Uma das mensagens mais poderosas do texto é o respeito e a apreciação às diferenças.

Os bebês, e até algumas crianças com mais idade, assistem à encenação com uma atenção surpreendente. Em alguns momentos, os pequenos riem, querem participar, interagir. Os adultos, por sua vez, sentiam-se obrigados a invadir o palco depois de os bebês fazerem rápidas incursões na história.

A acadêmica Ketlen Gomes levou seu filho Calebe, de 8 meses e percebeu que, mesmo com a pouca idade, aproveitou o espetáculo. “Ele prestou atenção, mas como gosta muito de luz, ele ficava observando. Onde ele chega, fica observando tudo. Ao mesmo tempo que prestava atenção, ficava observando tudo que via em volta”, diz a mãe.

Ketlen e Calebe gostaram da peça. | Foto: Tatiana Marin
Ketlen e Calebe gostaram da peça. | Foto: Tatiana Marin

De 1 ano e 5 meses, Bianca, filha da administradora Camile Bruel, já tinha uma consciência maior sobre o espetáculo. “Ela ficou prestando atenção e acompanhando quando a personagem falava as partes do corpo”, afirma.

Bianca acompanhava a encenação. | Foto: Tatiana Marin

E teve bebê que até entrou na história, emprestando um enfeite de cabelo para a costureira colocar na boneca. Rebeca, que estava acompanhada da tia Mirian Carla Janot, estava sempre atenta à história. “É um jeitinho bem calmo, que eles (os bebês) conseguem prestar atenção”, avalia.

Rebeca até participou da apresentação emprestando um enfeite de cabelo. | Foto: Tatiana Marin

Como as crianças ficaram compenetradas ao enredo foi surpreendente para todos. “Televisão ela não assiste, fica um pouco e já sai. Aqui ela ficou assistindo. Ela gosta mais desse contato, de presença”, diz Camile sobre Bianca.

“O Calebe gosta de vídeos, vê na TV, celular, mas depois de uns minutos já quer outra coisa. Aqui ficou um pouco mais de tempo”, conta Ketlen.

Foto: Tatiana Marin

Angela Montealvão, atriz e idealizadora de Co’Ser conta, depois de diversas apresentação, que está convencida de que os bebês têm a capacidade da comunicação poética.

“A gente começa montando [a peça] e tem a expectativa de que, sim, os bebês são capazes da comunicação poética. Vendo na prática tem mais convicção de que, sim, a poesia é do ser humano, não existe um povo sem cultura, sem capacidade de comunicação poética”, analisa.

O espetáculo deve ganhar novas temporadas na sede da Urgente Companhia, da qual Ângela faz parte, no começo de 2019. Neste sábado haverá uma nova apresentação de Co’Ser no Sesc Cultura, às 16h30. A peça também é aberta para apresentações em escolas. “A estrutura é toda móvel, em qualquer espaço alternativo a gente monte um mini teatro convencional”, explica.


Fale MAIS!

O que você gostaria de ler no MidiaMAIS? Envie sua sugestão para o e-mail [email protected]diamax.com.br, ou pelos telefones 67 99965-7898/3312-7422.
Siga a gente no Instagram – @midia_mais_

Mais notícias