“O pessoal era amigo do prefeito da cidade e do dono do Marina, que eles esconderam as câmeras. Se o Henri tivesse feito qualquer coisa, eles seriam os primeiros a divulgarem essas filmagens. Eles estão privando a gente disso, porque o dono da Marina é amigo dos caras e está protegendo os amigos. Fora que os seguranças não prestaram socorro, o processo civil cabe para eles também”, diz a testemunha.

“O dono do Marina tinha pedido ao Henri para quando ele fosse lá, postasse no , para ajudar a divulgar. Na hora que a gente chegou, Henri foi lá, filmou o cantor tocando, postou e ficou mexendo no celular. De repente, o segurança do , que estava com a gente, veio, e falou: pega o Henri, pega o Henri, e separamos a briga. Os agressores têm barco na Marina e são as pessoas mais ricas de lá. Eles estavam acompanhados do prefeito”, continua.