Presa, filha de Belo diz que não sabia que trabalhava para golpistas

Estudante falou, em depoimento, que aceitou proposta porque estava com dívidas

Isadora Alkimin presa acusada de formação criminosa, em uma operação da polícia do Rio de Janeiro, no último dia 10 deste mês diz que não sabia que trabalhava para criminosos. A filha do cantor Belo, de 21 anos,  foi apontada como uma das chefes da organização e disse que aceitou o trabalho por estar com muitas dívidas.

O portal Extra teve acesso ao depoimento da estudante de odontologia. De acordo com o noticiário, Isadora alegou aos policiais que sua função era coletar dados e fazer anotações sobre várias pessoas. Ela alegou que nunca tinha entrado em contato com nenhuma vítima para pegar dados e apenas usava informações que já estavam inseridas no sistema do computador. A filha de Belo, no entanto, admitiu imaginar que algo ilegal seria feito com os dados.

Em seu depoimento, ainda segundo o portal, ela afirmou que não sabia o que seria feito com as informações, “mas achava que era uma coisa ilegal, porém achava que essas pessoas seriam ressarcidas por alguma instituição financeira e não tinha certeza se elas perderiam determinado valor”.

Isadora disse ainda que estava na função há pouco menos de um mês e que havia recebido uma ajuda de custo de R$ 600, “pois estava na fase de aprendizado da função de coleta de dados”. Ela disse ter recebido a quantia de outras mulheres da casa. A jovem alegou que sua renda vinha exclusivamente de seus pais, mas por estar com muitas dívidas resolveu tirar uma “renda extra”

 

Presa, filha de Belo diz que não sabia que trabalhava para golpistas
Mais notícias