Famosos se manifestam contra o Carrefour após assassinato de homem negro

Vídeos que circulam nas redes sociais mostram o homem sendo violentamente agredido pelos agentes de segurança do mercado

Após um vídeo em que um policial e um segurança aparecem espancando brutalmente um homem negro no supermercado Carrefour viralizar nas redes sociais, vários famosos se pronunciaram e pediram um boicote à rede de mercados na internet nesta sexta-feira (20). João Alberto Silveira de Freitas morreu após ser violentamente agredido por um policial militar e um segurança do Carrefour, dentro de uma unidade da rede de supermercados, em Porto Alegre, na quinta-feira (19), véspera do Dia da Consciência Negra.

“Carrefour e seu jeito de celebrar o dia da Consciência Negra”, ironizou Hélio de La Peña. Rafinha Bastos postou no informações sobre um protesto na frente da loja onde aconteceu o crime e relembrou o histórico de violência da rede.

“Vídeo registrado no Carrefour Porto Alegre. O homem negro espancado veio a falecer. Tudo isso no dia da Consciência Negra. Esse é o Brasil que se comove com George Floyd e não percebe que essa merd* acontece todo dia por aqui. O histórico de atrocidades do Carrefour no Brasil inclui ainda o espancamento de cachorro e a ocultação de cadáver com guarda-sol durante o expediente. Tem que boicotar essa m****. E o minimo a se fazer”, disse.

O ex- Rodrigo se mostrou mortificado nas redes sociais e repetiu a mesma frase várias vezes. “Um homem negro foi especado até a morte por seguranças brancos, no supermercado Carrefour”.

Pathy Dejesus também comentou o caso repostando uma mensagem da jornalista Flávia Oliveira. “João Alberto Silveira de Freitas. Homem Negro. 40 anos. Espancado até a morte por dois seguranças brancos no Carrefour em Porto Alegre. Dia da Consciência Negra”, escreveu Pathy na legenda.

Felipe Neto se mostrou indignado com a impunidade da rede de supermercados. “O que mais me dá ódio é a sensação de não ter o que fazer. Boicotar o Carrefour só vai tirar empregos, prejudicar trabalhadores inocentes. Os chefões continuarão andando de iate e jato particular. Que ódio do cac***”.

Famosos se manifestam contra o Carrefour após assassinato de homem negro
Mais notícias