Serguei, ícone do rock e “Mick Jagger brasileiro”, morre aos 85 anos

O músico já possuía caso avançado de Alzheimer e estava internado desde maio

Morreu na manhã desta sexta-feira (7) aos 85 anos o músico Sérgio Augusto Bustamante, mais conhecido como Serguei. Ele estava internado em um Centro de Tratamento Intensivo do Hospital Regional do Médio Paraíba (Zilda Arns), em Volta Redonda, no Sul Fluminense.

Por 22 dias ele permaneceu internado no Nossa Senhora de Nazaré, no distrito de Nazaré. Ele tinha dado entrada na unidade com quadro de desidratação, pneumonia e infecção urinária. Aos 85 anos e após desenvolver um quadro de Alzheimer, ele deu entrada ao local com o estado de saúde estável, porém, apresentou algumas complicações como desnutrição e infecção urinária.

Em sua casa foi criado o Museu do Rock, que era administrado pelo músico, que possui peças de roupas, discos, prêmios, filmes, cartazes e vários outros materiais de sua carreira. Serguei lançou 11 discos durante a carreira e chegou a tocar no Rock in Rio II (1991) e Rock in Rio III (2011). Serguei continuou ativo na música até o final de 2018, tocando com sua banda Pandemonium.

Na infância, ele teve um amigo russo que lhe chamava de “Sergei” (em russo: Сергей , variação de “Sérgio”), porque tinha dificuldade em pronunciar seu nome corretamente, por isso o apelido ficou. Em 1969, esteve no famoso Festival de Woodstock, e no final deste mesmo ano, o cantor afirma ter conhecido a cantora americana Janis Joplin, em Long Island, um dos motivos pelo qual ficou conhecido.

Em 2011 deu entrevista ao quadro “Provocações” de Antônio Abujamra, assista:

Mais notícias