Robert De Niro processa ex-funcionária por ela assistir ‘Friends’

Robert De Niro processa ex-funcionária que assistia à 'Friends' no horário de trabalho

O ator hollywoodiano Robert De Niro move um processo milionário de R$ 24 milhões contra uma de suas ex-funcionárias da empresa pessoal Canal Productions. Dentre as coisas erradas que ela fazia, uma chama mais a atenção: usava o horário de trabalho para colocar em dia a série “Friends”. Segundo a revista Variety, ela assistiu a 55 episódios e também mais alguns de Arrested Development.

Não bastasse isso, ainda segundo a publicação, a mulher gastava as milhas de viagens de De Niro e gastou o equivalente a R$ 128 mil de transporte e R$ 32 mil de alimentos em uma padaria e mercado.

A moça, que começou como assistente pessoal do astro e terminou sua atuação como vice-presidente de finanças, também teria gasto o equivalente a R$ 48 mil em apenas um restaurante.

“Assistir séries na Netflix não estava relacionado, de forma alguma, com as tarefas e responsabilidades do trabalho. Ela o fez por entretenimento e diversão no horário que estava sendo paga para trabalhar”, afirma parte do processo de acusação.

Se por um lado De Niro pede uma grana alta pelo processo, por outro pode perder parte de sua fortuna de R$ 1,9 bilhão. Grace Hightower, ex-mulher dele, briga na justiça americana para ter direito a metade do montante. A informação foi divulgada pelo Page Six.

Atentado a De Niro

No fim do ano passado, o ator Robert de Niro recebeu um artefato explosivo em seu escritório. Em entrevista, disse que votar é mais importante que as ameaças. “Há algo mais poderoso que as bombas, e esse é o seu voto. As pessoas Devem votar!”.

O ator foi uma das 12 personalidades ligadas ao Partido Democrata que receberam pacotes-bomba. De Niro ficou conhecido pelas duras críticas ao governo republicano de Donald Trump e já protagonizou algumas brigas com o atual presidente.

Mais notícias