Rip Torn, ator de ‘Homens de Preto’, morre aos 88 anos

Artista texano se notabilizou pela versatilidade e produtividade no cinema, na televisão e no teatro

O ator americano, Rip Torn, conhecido pelo papel de Zed, de ‘Homens de Preto’, morreu em sua casa em Connecticut na última terça-feira (9). A morte do ator de 88 anos foi anunciada oficialmente por seu agente. Segundo o site TMZ, a causa da morte não foi divulgada.

Torn ficou famoso na indústria de entretenimento pela facilidade para interpretar papéis diversos. Um de seus primeiros grandes trabalhos foi o do traidor Judas Iscariotes no épico bíblico O Rei dos Reis (1961), dirigido por Nicholas Ray.

Rip também teve participações de destaque no cinema e na televisão,  como nas séries The Larry Sanders Show (1992-1998), pela qual venceu um Emmy ao interpretar Artie, e 30 Rock (2006-2013).

Foi indicado ao Oscar de coadjuvante por Retratos de uma Realidade (1983) e deixou sua marca em O Homem que Caiu na Terra (1976), protagonizado por David Bowie, O Príncipe Guerreiro (1982), RoboCop 3 (1993) e O Informante (1999), entre outros longas.

Quase uma década depois, mudou completamente de ares para viver o polêmico e ousado escritor Henry Miller em Trópico de Câncer (1970). Em duas oportunidades, encarnou Walt Whitman, um dos grandes poetas de língua inglesa: no drama Loucos Sonhos (1990) e na minissérie The American Parade (1976).

Ainda na década de 1970, viveu o ex-presidente Richard Nixon no docudrama político Blind Ambition (1979), focado em John Dean (Martin Sheen), conselheiro do republicano. Mais recentemente, interpretou o rei francês Luís XV em Maria Antonieta (2006), filme de Sofia Coppola.

Mais notícias