Paula é intimada pela polícia para esclarecer declarações no BBB19

A vencedora do 'BBB' foi intimada para prestar esclarecimentos na Delegacia de Crimes Raciais e Delitos de Intolerância (Decradi)

A campeã da 19ª edição do Big Brother Brasil, a mineira Paula Sperling, foi intimada para prestar esclarecimentos na Delegacia de Crimes Raciais e Delitos de Intolerância (Decradi) na próxima quarta-feira (17). A vencedora do prêmio de R$1,5 milhão é investigada pelo crime de injúria por preconceito baseada em intolerância religiosa dentro do reality show.

As acusações partem de uma conversa em 6 de fevereiro, dentro do reality show, quando Paula fez uma série de comentários que foram considerados por alguns participantes, telespectadores e internautas como racistas e de intolerância religiosa. A sister afirmou para Diego e Hariany que tinha medo de Rodrigo por ele ter contato “com esse negócio de Oxum” e disse: “Nosso Deus é mais forte”.

Segundo o delegado que está a frente do caso, se a jovem for considerada culpada, ela pode pegar até três anos de pena. A advogada Mônica von Sperling, irmã de Paula, disse que a família está preparada para qualquer denúncia de Rodrigo. Até agora, Paula não comentou sobre o caso.

No domingo, a equipe que gerencia as redes sociais de Paula anunciou que a bacharel em Direito desistiu de encontrar ex-BBBs na tarde do último domingo (14) após ser alvo de ameaças. A campeã tinha, até então, confirmado presença no grupo  Camarote, onde iria se reunir com outros colegas de confinamento em um show do cantor Thiaguinho, no Rio de Janeiro.

“A Paula não irá ao encontro do Camarote, por conta da quantidade de pessoas e as ameaças que ela anda recebendo”, diz a mensagem publicada no Twitter oficial da mineira, que logo depois foi apagada.

Mais notícias