Em entrevista, Júnior Lima revela que já teve síndrome do pânico

Cantor dupla de Sandy na turnê "Nossa História" deu entrevista ao canal de Sabrina Sato no Youtube

Júnior Lima, da dupla com Sandy, e que fez, e ainda faz, sucesso com a irmã, decidiu ceder entrevista à apresentadora Sabrina Sato na última segunda-feira (12) falando um pouco sobre a infância sob os holofotes e a consequente síndrome do pânico que acabou desenvolvendo com o passar dos anos.

Ao menor sinal de ‘paparico’ da equipe de produção, o músico era alertado: “Minha mãe controlava (os mimos). Às vezes, as pessoas ficavam me paparicando e tal. Aí, quando a gente ficava sozinho ela dizia: ‘Você sabe, né… as pessoas se empolgam, querem te agradar. Você sabe que não é tudo isso, né? Não acredite em tudo o que te falam’. Isso por um lado me deixou inseguro. Mas aí eu fui trabalhar isso na terapia, entender e resolver”, afirmou durante entrevista para Sabrina Sato.

Aos 35 anos de idade, Junior Lima conta que começou a fazer psicoterapia aos 21. A apresentadora perguntou se a visibilidade do músico não mexeu com o lado emocional dele. “Nunca é mil maravilhas. Tive minha fase meio ‘deprê’. Tive pânico. Tive um monte de coisa”, conta.

Junior revelou que chegou a ter síndrome do pânico. “Faz uns sete, oito anos. Foi um tempo depois que separou (a dupla Sandy e Junior). Na época era tudo tão intenso e grandioso que eu não consegui absorver as coisas. Meio que me anestesiava e não conseguia sentir as coisas”, lembra.

Para ele, o fim da dupla com Sandy foi importante para que cada um seguisse seu caminho: “Fez muito bem pra gente. A gente pôde desenvolver outras coisas, aprender outras coisas, absorver outros universos. Puxa, eu tive uma banda de rock, de soul, de música eletrônica!”, enumera.

Assista à entrevista completa abaixo:

Mais notícias