Após 2 anos, caso de morte de Prince é encerrado com nenhuma acusação

“Não haverão acusações criminais arquivadas sobre o caso”, anunciou o advogado Mark Metz, nesta quinta-feira

“Apesar da investigação intensiva sobre a aplicação da lei, não há evidências confiáveis ​​que mostrem como Prince obteve o Vicodin falsificado com fentanil, ou quem mais pode ter desempenhado o papel na entrega do falso Vicodin para Prince”, disse Metz, advogado do Condado de Carver, nos Estados Unidos.

A polícia completou a análise forense com todas as evidências digitais, mas eles foram incapazes de determinar a fonte do falso Vicodin atado com fentanil.

“Portanto, sem causa provável e sem suspeito identificado, a Procuradoria do Condado de Carver não pode registrar nenhuma acusação criminal envolvendo a morte de Prince”, anunciou Metz.

“Não há dúvida de que as ações dos indivíduos ao redor de Prince serão criticadas, questionadas e julgadas nos próximos dias e semanas”, continuou ele. “Mas as suspeitas e insinuações são categoricamente insuficientes para apoiar quaisquer acusações criminais.”

No mês passado, um relatório de toxicologia da autópsia de Prince foi obtido pela Associated Press. O relatório mostrou que o corpo do cantor continha uma concentração “excessivamente alta” do opióide fentanil após sua morte.

Prince tinha 57 anos quando faleceu, há dois anos, em 21 de abril de 2016. O cantor foi encontrado morto em sua propriedade e estúdio em Paisley Park, em Chanhassen, Minnesota.

Na quinta-feira, o patrimônio de Prince lançou cenas de um ensaio nunca antes vistas de Prince & The Revolution no verão de 1984. A versão original do estúdio de “Nothing Compares 2 U” está incluída na filmagem.

Ouça abaixo:

Mais notícias