Longe da TV, Marlene Mattos passa a comandar hotel fazenda em Sergipe

Empresária deixou o Rio de Janeiro

 

Quem conhece a fama de inquieta e agitada de Marlene Mattos não imagina que há cerca de um mês ela deixou o Rio e foi viver em uma pacata, até um tanto escondida, zona rural do Sergipe, a aproximadamente 20 minutos de Aracaju. A diretora de TV – responsável não só pela carreira de Xuxa Meneghel, mas também ex-diretora do “Mais Você”, de Ana Maria Braga, e do famoso programa musical “Jovens Tardes”– tornou-se administradora de um hotel fazenda, uma espécie de complexo turístico que ocupa uma área de 700 hectares carrega o nome de Hotel Fazenda Boa Luz.

O local é de propriedade do empresário carioca Marreco Fernandes, que confiou Marlene Mattos para ser sua diretora executiva e dar todas as ordens, a fim de que o espaço se torne um destino certo para férias no Nordeste.

“Sou a pessoa que manda. Não sou a dona, mas o Marreco comprou esse lugar e deixou que eu pudesse administrar e mandar em tudo aqui. Ele comprou e falou que era meu, que eu podia realizar tudo que tivesse vontade neste espaço”, conta Marlene, que convidou o EGO para conhecer seu novo lar e investimento. “O que me fez aceitar vir pra cá foi a autonomia, a liberdade, e a vontade de desafios”, completa ela.

O convite para ‘mudar de vida’ chegou para Marlene Mattos logo após ela não ter tido sucesso com um novo projeto na televisão. Ela era diretora do canal fechado E+, apostou em nomes como Zilu, Nicole Bahls e Monique Evans para apresentadora, mas por falta de patrocínios precisou abandonar os novos projetos de programas.

“As coisas surgem na minha vida no momento em que eu mais preciso, que eu quero mudar. Quando me chamaram para vir pra cá eu pensei ‘O que eu vou fazer em um hotel? Tá louco?’, mas eu não sou de fugir de desafios e, aos 66 anos, deixei minha inquietação e vontade de mudar falarem mais alto. Quero transformar esse lugar num destino para as pessoas. Estou aqui há pouco mais de 20 dias e já o deixei mais aconchegante, estou treinando as pessoas e quero que seja um projeto de muito sucesso”, ressalta Marlene.

Carreira e sucesso

Apesar de seu último projeto na telinha não ter dado certo, Marlene conta que não foi nenhum tipo de frustração que a fez se mudar para Sergipe. Ela revela ainda que dificilmente voltará a trabalhar como diretora de televisão.

Reprodução / EGO

“Eu realizei tudo que eu queria. Transformei Zilu em apresentadora, Nicole Bahls aprendeu mais coisas comigo, não estou frustrada por nada. Não tenho motivos pra isso. Tive uma carreira de reconhecimento na televisão e confesso que só voltaria a trabalhar com isso se fosse algo muito desafiador”, diz ela, que faz duras críticas aos programas de TV: “A televisão que está sendo feita aí não me interessa. Não tem nada que me admire. Falta coragem para ousar. Seguir tendências é fácil, mas criar tendências, isso sim é algo que precisa ter coragem".

Marlene carrega como base para administrar o local seus conhecimentos em marketing, mas especialmente seus anos de carreira construindo cenários. Ela revela que cada cantinho do hotel fazenda é visto por ela como um novo cenário e tudo precisa ser admirado pelos hóspedes por seu belo visual e bom funcionamento.

“Eu enxergo esse hotel como um cenário. Televisão nunca vai deixar de estar na minha vida. Mesmo não dirigindo um programa, tudo que eu faço estou fazendo como diretora. Vejo tudo como um cenário”, explica a diretora.

Severa, exigente e brigona

Ter Marlene Mattos como chefe e diretora pode até ter assustado inicialmente os trabalhadores do campo de Sergipe. A própria se define não muito sociável, e acredita que sua chegada tenha causado um certo medo aos seus novos funcionários. Porém, o que se vê atualmente no local é muita admiração e vontade de aprender com a renomada diretora.

“Eu tenho uma imagem de severa, de exigente, de brigona. Digo aos funcionários que sou tudo isso, no momento que preciso ser. Chamo atenção e exijo muito”, confessa Marlene, que explica seu modo de comandar: “Eu vim sozinha, não trouxe uma secretária, não tenho parentes em Sergipe, não preciso do emprego de ninguém, mas eu tenho um trabalho a fazer e vou fazer. Se o funcionário não estiver comprometido, não vai trabalhar comigo".

Uma nova Xuxa na vida de Marlene

Além de um hotel com atualmente 50 chalés, o complexo turístico comandado por Marlene Mattos reúne um verdadeiro tour de atrações. Entre elas um parque aquático de piscinas com ondas, diversos restaurantes com comidas típicas nordestinas, pesqueiro, fábrica de cachaça, um espaço dedicado aos insetos – chamado de “Mundo dos Insetos”, com estátuas gigantes, e até um “Vale dos Dinossauros”, também com estátuas representando os animais históricos.

Reprodução / EGO

 

Apesar das estátuas dos insetos e dinossauros chamarem atenção, o destaque do local fica mesmo para os animais reais, alguns até exóticos. Além de cavalos, vacas e diversas aves, um casal de ursos – a fêmea se chama Xuxa, nome que Marlene garante ter sido escolhido por outra pessoa, “Não tenho nada com isso”, fala aos risos – zebras, hipopótamos e um elefante roubam a atenção de hóspedes e visitantes.

A diretora, que tem sua origem em São José de Ribamar, interior do Maranhão, mostrou bastante intimidade com os bichinhos e bichões. Marlene tira leite das vacas, monta em búfalo, e alimenta a elefante como se sempre tivesse vivido ali e trabalhado nisso. “Sou simples, sou de origem simples, e gosto dessa liberdade que o campo me dá”, diz ela.

Mais notícias