João Gordo diz que seu pai o deixava até três dias trancado de castigo

Em entrevista no Altas Horas

Em entrevista ao programa "Altas Horas", o roqueiro João Gordo disse que seu pai o "batia de porrada" e o "trancava por até três dias" como forma de castigo. Os detalhes da história foram contados em seu livro "Viva la Vida Tosca".

"O meu pai era PM, [tinha] passagem pela polícia militar, então, a minha casa era tipo uma espécie de quartel. Se ele fosse dormir, todo mundo teria que ir dormir junto. Não podíamos responder, se respondesse, ele 'sentava' a mão na orelha", contou Gordo.

João disse que seu pai era bastante severo. "Se eu fizesse 'cagada', ele me deixava até três dias trancado no quarto, me dava a comida embaixo", disse. "Eu apanhava de cinta, de porrada, de chinelo, de varinha, de cabo de vassoura, o que tivesse na mão".

O roqueiro contou que conheceu o rock na época da escola, e que isso começou a abalar ainda mais sua relação com seu pai. "Aí é que começou a tortura mesmo. E quanto mais ele me zoava, mais eu ia para o lado do rock, quanto mais me batia, mais eu ia pro rock".

Questionado se o pai havia comparecido a algum show seu, João Gordo disse que não. "O meu pai morreu sem nunca ter visto um show meu, viu pela televisão porque ele foi obrigado a me engolir", disparou.

Por causa das agressões, João Gordo contou que ficou mais de 20 anos sem falar com o seu pai. "O meu maior medo é cometer [com a minha filha] os mesmos erros cometidos pelo meu pai [comigo]", admitiu.

(sob supervisão de Jessica Benitez)

 

Mais notícias