4ª Festa do Queijo de Rochedinho terá 32 expositores e Grupo Tradição

Festa acontece durante o próximo sábado (11)

A 4ª Festa do Queijo de Rochedinho acontece no próximo sábado (11) e contará com 32 expositores de queijos da região além de show ao vivo do Grupo Tradição. O evento do Distrito de Rochedinho, a 30km de Campo Grande, será realizado pela Subprefeitura de Rochedinho e Prefeitura Municipal de Campo Grande, por meio da Secretaria Municipal de Cultura e Turismo e da Secretaria Municipal de Desenvolvimento Econômico e da Ciência e Tecnologia a partir das 16h.

A festa contará com 32 expositores, sendo do próprio distrito, de Campo Grande e de Jaraguari, e de vendedores que estarão na praça de alimentação do evento. O público pode esperar por uma variedade considerável de queijos e produtos derivados.

Destino certeiro de quem gosta de queijo e derivados, a festa começou em 2015 e tinha como intenção dar uma identidade própria para a região. “Por contarmos com apoio da Prefeitura de Campo Grande, além da Sectur e da Sedesc, esperamos uma festa bem mais completa. Nossa expectativa de público passa de 4 mil pessoas”, revela Silvio Santos, atual subprefeito de Rochedinho.

A grande atração musical deste ano é o Grupo Tradição, escolhida por voto popular, com show previsto para começar às 22h, além de duplas regionais como Tostão e Guarany. De acordo com a Secretária Adjunta da Sedesc, Mara Bethânia Gurgel, a proposta é fomentar a economia local do Distrito, assim como criar oportunidade para os produtores de Campo Grande.

“Vamos movimentar a economia desses pequenos comerciantes e evidenciar a questão dos produtores. Teremos a presença da pesquisadora de queijos artesanais do Brasil, Priscila do Carmo. Ela trabalha pela Universidade de São Paulo, vai até Rochedinho para estudar os queijos na feira e com isso ampliar a questão da sua pesquisa. Com certeza, essa migração de saberes trará algo de muito positivo para esses produtores”, discorre Mara.

Melissa Tamaciro, Secretária de Cultura e Turismo de Campo Grande, entende que a festa é uma oportunidade a longo prazo de identificação cultural e possível atrativo turístico para Campo Grande e região. “O produto regional cria uma memória afetiva, uma identidade cultural. A gastronomia é uma expressão muito forte da nossa regionalidade. A cada ano que passa este evento tão inusitado tem atraído mais público e acreditamos que esse evento ainda se tornará um atrativo para o turismo na Capital”.

Mais notícias