MidiaMAIS / Comportamento

#FiqueBem: Passar tempo com pessoas amadas pode aliviar luto de quem perdeu família para coronavírus

Como a despedida é interrompida pela pandemia, lidar com o luto fica ainda mais difícil, mas estar perto de quem ama pode ajudar. 

Mylena Rocha Publicado em 31/03/2021, às 12h26 - Atualizado às 13h07

Recomendação é de, na medida do possível, passar tempo com pessoas amadas. (Foto: Ilustrativa/Pixabay)
Recomendação é de, na medida do possível, passar tempo com pessoas amadas. (Foto: Ilustrativa/Pixabay) - Recomendação é de, na medida do possível, passar tempo com pessoas amadas. (Foto: Ilustrativa/Pixabay)

Só quem perdeu uma pessoa querida para o coronavírus sabe o sentimento de dor de quem nem ao menos conseguiu se despedir. Mato Grosso do Sul já registrou mais de 4,2 mil mortes e milhares de pessoas lamentam a morte de familiares pela Covid-19. Como a despedida é interrompida, lidar com o luto fica ainda mais difícil, mas estar perto de quem ama pode ajudar. 

O psicoterapeuta Marcelo Comparin explica que o processo de luto sofre uma alteração quando uma pessoa morre por coronavírus. Como a despedida é alterada e não existe um encontro final entre o falecido e a família, o processo de luto é mais demorado. Ele explica que há uma confusão psíquica, já que não houve essa separação. 

“O processo de luto é mais lento. Será que a pessoa está viva? Está morta? Claro que o racional sabe que ela tá morta, mas o emocional, a parte afetiva se confunde”, frisa. Comparin afirma que a família pode viver um sentimento parecido com um roubo, quando a despedida é tirada. O sentimento é como se tivesse acontecido um sequestro ou assassinato.

O especialista diz que o que pode ajudar a passar por esse momento tão difícil é estar com pessoas amadas.

“O luto é um amor que se vai, então o amor que preenche vai ser algo que vai suprir essa ausência daquela pessoa que se foi. Ter pessoas queridas por perto vai ajudar a superar o momento”, orienta.

Além disso, fazer atividades que proporcionem alegria na companhia de quem se ama também alivia a dor. Caminhadas, arte, filmes ou qualquer outra atividade divertida são as recomendações para ajudar a suprir ao menos um pouco a ausência de quem se foi durante a pandemia. Vale lembrar que MS vive o pico da pandemia de coronavírus, logo a recomendação é passar tempo com pessoas que moram na mesma casa e adaptar as atividades prazerosas conforme as medidas de biossegurança. 

Porém, o psicoterapeuta frisa que não há como ‘tapar o sol com a peneira’. Apesar de triste, o luto tem o seu curso. As pessoas vão sentir falta e chorar por aquela que faleceu com a Covid-19. “Existirão momentos onde todo mundo vai chorar junto. Dividir a dor pode ser algo que amenize o sofrimento da perda de uma pessoa querida. Viver luto na solidão é excruciante, a melhor coisa é viver o luto na companhia de alguém querido”.

Jornal Midiamax