MidiaMAIS / Comportamento

Em Campo Grande, professora produz ‘salva máscaras’ para crianças não perderem EPIs

Pensando em sanar o problema de perdas de máscaras pelas crianças, a professora e artesã Sol Monteiro confeccionou o ‘salva máscaras’

Carlos Yukio Publicado em 01/03/2021, às 11h48 - Atualizado às 12h40

None
Em Campo Grande, professora inventa salva máscaras para crianças não perderem EPIs

Protetoras contra o coronavírus, as máscaras são orientadas também para as crianças. Mas como podem ser desatentas, ou nem sequer terem a compreensão da complexidade do momento que estamos vivendo, os pequenos acabam tirando e até perdendo as máscaras. Pensando em sanar esse problema, a professora e artesã Sol Monteiro confeccionou o ‘salva máscaras’.

Mãe solo e com uma filha, Sol já é artesã há 10 anos. Trabalha como secretária em uma escola particular de Campo Grande, mas veio para cá há 30 anos, do Ceará. O artesanato sempre foi uma renda extra para ‘se virar’ quando precisou. A artista começou com projetos em EVA na escola e foi se aprimorando até chegar em acessórios infantis como laços, babadores e tiaras.

“Sempre conciliei o artesanato com o meu trabalho atual. Por ser professora sempre tive habilidades com as artes. Daí surgiu o envolvimento com o EVA, quando trabalhei atendendo pedidos e dando cursos na minha casa e em lojas de aviamentos”, conta a artesã.

Depois, resolveu mudar entrando para a confecção de laços e acessórios infantis. Começou vendendo na porta da escola em que trabalha os kit personalizados de acordo com a cor do uniforme e atendendo também no próprio ateliê. Depois, com o crescimento do comércio, começou a empreender pelas redes sociais.

Pandemia e reinvenção com máscaras

Com a pandemia e paralisação, Sol conta que precisou se reinventar e passou a produzir máscaras infantis e adultas. Sempre que fazia os trabalhos, postava em sua página do Instagram (@lacos.dasol), no qual hoje coleciona quase 20 mil seguidores. O crescimento nas redes sociais foi tão grande que surpreendeu até a artesã.

“São pessoas do mundo todo, tenho bastante clientes pelo Brasil, e a divulgação das encomendas atrai cada dia mais visualizações no meu perfil. Tem uma foto que eu postei no Instagram das máscaras que eu fabriquei, postei a noite e quando foi de manhã eu já estava com mais de 100 mil visualizações e 2 mil seguidores a mais. E a partir desse dia cada vez que eu posto ganho mais seguidores e curtidas no meu trabalho, que vem de todo canto do mundo”.

As máscaras trazem bordados, aplicações e pedrarias para ficarem mais personalizadas mesmo continuando a seguir as normas de segurança. Sempre buscando novidades, Sol conta que o ‘salva-máscara’ surgiu quando viu na prática o problema dos alunos pequenos com o acessório de proteção individual.

“O ‘salva máscaras’ surgiu quando vi a dificuldade dos alunos na escola em que eu trabalho em segurar as máscaras, tirando para lanchar ou tomar água e acabavam perdendo. Salvou as pessoas que têm o hábito de tirá-las e esquecerem por aí. O cliente escolhe o modelo, cores, combinando com a máscara ou até personalizada com o nome. Cada uma custa em média de R$ 20,00”, explica Sol.

Atualmente a loja virtual da artesã, Laços da Sol, envia os produtos para todo o Brasil. Para conferir o trabalho da artesã, basta entrar em contato pela página do Instagram ou pelo telefone (67) 9232-0484.


Fale MAIS!

O que você gostaria de ler no MidiaMAIS? Envie sua sugestão para o e-mail [email protected], ou pelo telefone (67) 99965-7898. Siga a gente no Instagram – @midiamax

Jornal Midiamax