MidiaMAIS / Comportamento

Caro nos mercados, ovo de Páscoa caseiro é saída de clientes e também renda extra em Campo Grande

Aqueles que andaram pelas ruas nos últimos dias – algo não recomendado, caso não exista necessidade – já pode reparar os ovos de páscoas nas vitrines ou corredores e algumas lojas, mercados e comércios que trabalham com alimentação. Há duas semanas da data, o coelhinho está um pouco esquecido, seja pela pandemia ou pelo “bolso”, […]

Gabriel Neves Publicado em 22/03/2021, às 14h21 - Atualizado às 15h00

Imagem ilustrativa. (Foto: Reprodução/Facebook)
Imagem ilustrativa. (Foto: Reprodução/Facebook) - Imagem ilustrativa. (Foto: Reprodução/Facebook)

Aqueles que andaram pelas ruas nos últimos dias – algo não recomendado, caso não exista necessidade – já pode reparar os ovos de páscoas nas vitrines ou corredores e algumas lojas, mercados e comércios que trabalham com alimentação.

Há duas semanas da data, o coelhinho está um pouco esquecido, seja pela pandemia ou pelo “bolso”, nem todos estão animados com a ideia de comprar os já tradicionais ovos de chocolates.

Para Wesley Camilo Gutierrez, abordado pela reportagem no momento em que passava por uma vitrine de ovos de chocolate, comentou que a compra de ovos não é algo que faz todo ano, mas gosta da ideia de presentear ao comer chocolate no dia 4 de abril.

Caro nos mercados, ovo de Páscoa caseiro é saída de clientes e também renda extra em Campo Grande
Wesley Camilo comenta que pretende comprar ovos de Páscoa neste ano. (Foto: Marcos Ermínio/Midiamax)

“Eu compro um ovinho, mas esse ano ainda nem parei para pensar direito na páscoa, as lojas já estão cheias de ovos, mas o preço está meio alto”, comentou Wesley. E ele não está errado, ao menos é o que se percebe ao andar pelos corredores de uma loja de departamentos localizada na Dom Aquino.

Os preços vão de R$ 10,00 – caso você opte por comprar um produto de 120g – até os ovos de 500g, vendidos por R$ 700. A grande maioria dos ovos são vendidos por valores entre R$ 50 e R$ 60.

Uma forma de fugir dos altos preços e anda sim conseguir comprar ovos de chocolates maiores que a palma da mão é apostar no comércio local, os ovos caseiros que crescem a cada ano, seja no número de clientes ou no número de vendedores.

Andreia Rocha Brandão, 40 anos, já está no ramo há um bom tempo, especificamente 12 anos, e começou a receber seus pedidos para a fabricação dos ovos, onde o mais caro é vendido por R$ 60,00, ou seja, R$ 10,00 a menos do mais caro vendido na loja de departamentos.

“Até o momento eu já recebi cerca de 30 encomendas, ainda é baixo considerados há outros anos, mas sem dúvidas melhor do que foi 2020. Outro fator é que as encomendas aumentam mesmo quando chegamos mais próximos da data, principalmente na última semana”, comentou.

A empresária pretende arrecadar cerca de R$ 4 mil com a venda dos ovos esse ano, mais do que arrecadou ano passado, mas um valor abaixo do arrecado em 2018 ou 2019.

Alguns encontram nos ovos de produtos de chocolate a sua principal renda, para outros a vertente, que vai de contramão às grandes empresas, é uma renda extra e muito bem-vinda no orçamento mensal, como é o caso da Franciely Almeida, que trabalho como esteticista.

“Eu vendo chocolates há uns 4 anos, na época eu era menor aprendiz e vendia para meus colegas da escola, mas após terminar o colégio eu continuei com as vendas, e os doces continuaram sendo uma renda extra no meu orçamento”, comentou.

Já com mais de 10 encomendas fechadas, Franciely conta ser o primeiro ano em que ela se prepara de verdade para a Páscoa, “eu vendia ovos nos anos anteriores, mas era conforme alguns clientes iam pedindo eu ia fazendo”, explicou.

Essa é a primeira vez que a venda ocorre de forma “planejada” explica a empresária, por conta disso, ela fez algumas fotos e utilizou as redes sociais para divulgar seus produtos. “Os clientes que aprecem são, em grande parte, pessoas que eu já conheço, mas sempre aprecem alguns que viram no insta ou face”, disse.

Franciely encara a venda de chocolate da merma forma que Gabriela Aparecida, uma renda extra para ajudar no final do mês. Apesar disso, após o marido se acidentar, a renda extra se tornou renda principal e então surgiu a ideia de investir em ovos de chocolate.

Ela, assim como as outras empresárias, percebeu que o número de pedidos está baixo, mesmo sem a experiência anterior, “esperava que tivessem mais pedidos até agora”, comentou.

“Agora eu preciso ao menos ganhar o dinheiro investido, gastei R$ 700,00 comprando os produtos, e pretendo ganhar uns R$ 2.500,00 para que eu tenha um lucro razoável”.

A esperança dessas empresárias está em clientes como Wesley, que olhando os preços cobrados nas grandes lojas ou mercados, ficaram assustados e acabam procurando ovos entregues por valores mais em conta pelo coelhinho.

Jornal Midiamax