Volta às aulas: como motivar seu filho que repetiu de ano?

Repetir de ano na escola pode ser um sinal de desmotivação, mas há caminhos para contornar além de broncas

O novo ano letivo na escola traz novas discussões e problemas para alguns pais: motivar os filhos que repetiram de ano pode ser um desafio. Algumas crianças e adolescentes ficam desmotivados ao verem os colegas em uma nova classe ou quando percebem que ficaram para trás em alguma matéria. Nesse período de e adaptação, o apoio dos pais é fundamental.

Conversamos com a psicóloga Francisca Flávia Costa, psicóloga, mestre em psicologia e especialista em terapia cognitivo comportamental sobre a temática que é uma das desenvolvidas em seu Instagram @depaisprafilhos.

No primeiro caso, é preciso ver se há a necessidade de uma explicadora ou conversar com os professores para descobrir se a criança ou adolescente tem algum distúrbio de aprendizagem como dislexia, por exemplo, e buscar ajuda caso seja necessário.

“Sem perceber os pais podem contribuir para a desmotivação. O primeiro passo é deixar de lado o que já aconteceu. O enfoque deve ser para o incentivo ao novo ano, com responsabilidade e planejamento de rotina saudável junto com a criança ou adolescente para que surja uma reflexão sobre o que aconteceu”,

Paciência e disciplina

Com a reprovação de um filho na escola, não adianta mais se desesperar, muito menos utilizar da violência física e verbal. O momento é de fazer uma análise para entender o que aconteceu. É importante incentivar o potencial e não reduzir a criança e adolescente a uma desaprovação e minimizar suas potencialidades.

“Deve-se também perguntar para os filhos sobre quais os pontos que precisam melhorar e de que maneira eles acham que os pais e responsáveis poderiam contribuir para esse novo ano letivo. Poder dar a abertura e possibilidade para que o filho converse e se expresse sobre como está se sentindo”,

Segundo Leonardo Chucrute, diretor-geral do Colégio e Curso Progressão, os sinais de repressão são dados desde o primeiro bimestre, dependendo da escola. O acompanhamento dos pais é importante desde o começo, porque se o erro é identificado no começo, pode ser resolvido de maneira mais rápida.

“Os pais e professores devem incentivar o aluno a não desistir. Nesses momentos, a conversa é um instrumento fundamental. É preciso fazer a pessoa refletir. Troca de recompensas são mais eficazes do que simples castigos”, relata o diretor do colégio.

Cada um tem seu tempo

A outra dica envolve mostrar ao filho que o sucesso exige um esforço da parte dele. Ressaltar a importância aos estudos, que isso vai ser um diferencial na vida dele, apresentar experiências, todos os casos na família ou fora da família baseados na educação.

“Somos nós pais que devemos incentivar e conversar sobre a importância da escola e do estudo na vida e levantar a possibilidade de ele refazer a série para ter a real possibilidade de aprender de fato. Mesmo se fosse aprovado no ano letivo, teria muitas perdas no aprendizado. Agora é uma nova possibilidade de fortalecer os estudos e conseguir um melhor desempenho”, frisa a psicóloga Francisca Flávia Costa.

Mas não se esqueça de que cada um tem o seu tempo. Nunca o compare com outros e não seja imediatista. Nada de bronca, de violência, “puxão de orelha”. Isso não surtirá um efeito positivo. Ao invés disso, use palavras para incentivar. Observe as ações positivas e dê elogios no momento certo, até mesmo em pequenas conquistas.

Volta às aulas: como motivar seu filho que repetiu de ano?
Mais notícias