Na pandemia, ela faz ‘bolo tsunami’ para ajudar tratamento de câncer da mãe

A família toda se juntou ao negócio, que virou fonte de renda com o desemprego nas Moreninhas

Em momentos de dificuldades, buscar novas alternativas para sobreviver se torna uma necessidade. Somado ao desemprego ocasionado pela pandemia do novo coronavírus, uma família da teve que buscar uma solução para arcar com o tratamento de câncer da matriarca, Lidiane. Os bolos caseiros, passados de geração em geração, foram a salvação.

Lidiane Morais, de 38 anos, descobriu um câncer de mama em março de 2019. A dona de casa fez quimioterapia até dezembro, quando teve que fazer a retirada total da mama com esvaziamento de axila. Depois ela começou com a radioterapia, que faz até hoje. A notícia da doença abalou a todos.

Na pandemia, ela faz 'bolo tsunami' para ajudar tratamento de câncer da mãe
Família de Lidiane Morais (no topo, à direita) fez de tradição da família uma maneira de manter a renda e ajudar no tratamento do câncer de mama (Reprodução, Arquivo Pessoal)

“Perdemos o chão. Somos em 4 irmãos e eu sou a mais velha. Quando soubemos eu perdi o chão, mas cremos muito em Deus e tenho muita fé. Logo logo ela vai ser curada. Saí da minha casa e vim morar com minha mãe para ajudar a cuidar dos meus irmãos que são pequenos. Não pensei duas vezes”, conta a filha Rute, de 21 anos.

Para o tratamento no , a família precisa arcar com a medicação que, como conta Rute Morais, não é barata. Segundo ela, cada caixa com apenas 10 comprimidos custa em torno de R$150,00. O Sistema Único de Saúde também não abrange todos exames necessários, o que traz mais gastos.

Boleiras tradicionais

A família sempre teve nos bolos feitos por gerações uma renda extra consolidada. A mãe, Lidiane, fazia bolos caseiros pra vender e assim ia se virando com a venda dos bolos para sustentar a casa, mesmo com o marido desempregado por falta de oportunidades.

Na pandemia, ela faz 'bolo tsunami' para ajudar tratamento de câncer da mãe
Boleira luta contra o câncer de mama desde março de 2019 e tem como base a fé em Deus (Reprodução, Arquivo Pessoal)

O exemplo fez com que a filha, Rute, visse na mãe uma motivação para manter a fé e esperança. A confeiteira, que também trabalha como diarista, perdeu trabalhos com a pandemia do novo coronavírus. Ao ver um tutorial na internet, decidiu testar os virais ‘bolos Tsunami’ para manter a renda da casa.

“Resolvi seguir o exemplo da minha mãe, que nunca fraquejou diante das dificuldades da vida e sempre nos ensinou com um ditado: ‘Se a vida te der um limão, não chore e nem desanime com ele vc pode fazer uma deliciosa limonada’. Foi o que eu fiz. Vi um vídeo no Youtube e achei interessante. Comecei a fazer os bolos com a ajudinha da minha mãe e da minha avó, que também é boleira. Meu marido, que também perdeu o emprego recentemente, me ajuda na fabricação e faz as entregas”, conta Rute ao Jornal Midiamax.

Bolos ‘Tsunami’

O bolo é a nova tendência da confeitaria em 2020 e faz sucesso com vídeos hipnotizantes nas redes sociais deixando qualquer um com água na boca. Ao ser retirado de sua embalagem, o bolo “explode” e sua cobertura transforma completamente a aparência da .

https://www.facebook.com/ConfeitariaSaborAMil/posts/103969464699844

O micro empreendimento rendeu à família uma página intitulada Sabor a Mil, por onde fazem as vendas, além de conseguir se manterem financeiramente durante esse período economicamente delicado devido à pandemia. A fé sempre foi a principal motivação.

“O diferencial é o amor é o carinho e a fé que coloco no preparo. Sempre preparo como se fosse pra mim. Com a venda eu ajudo a pagar as contas como água, energia e também na compra do mês. Deus é muito bom, ele sempre nos ajuda e nunca nos desampara ele tem sempre uma estratégia”, finaliza.

Na pandemia, ela faz 'bolo tsunami' para ajudar tratamento de câncer da mãe
Mais notícias