Faltou arroz e feijão? Delivery é alternativa de moradores para compras em supermercado

O delivery nos supermercados já existiam antes da pandemia, mas se tornou uma alternativa real dos moradores durante o isolamento social

Durante a quarentena perante a pandemia de Covid-19, o novo coronavírus, muitas pessoas estão evitando sair de casa apenas se for realmente necessário. Como ir às compras quando faltar algum alimento em casa. Mas se depender dos supermercados, os moradores nem para isso precisam deixar as suas casas.

Isso porque muitas redes de supermercados e até aqueles mercados de bairros estão optando por delivery. Seja por compras on-line ou até pedidos por telefone valem para manter os clientes seguros em casa.

Cliente fiel de uma rede de supermercados, Ilda de Oliveira, de 52 anos, gosta muito de ir no mercado andar com o carrinho pelos corredores verificando preços e pegando o que é necessário. Mas durante a quarentena, as saídas ficaram difíceis e a alternativa foi optar por fazer as compras on-line e receber a mercadoria na porta de casa.

“É uma praticidade, né. A única diferença é que não preciso de sair de casa e ir até o mercado. Dá para ver os preços, tem as fotos dos produtos certinho e no final, pago com o cartão igual quando vou pessoalmente [no mercado]”, disse Ilda, que conta com a ajuda da da sobrinha de 14 anos para comprar no delivery.
Questionada se continuará comprando pela internet quando a quarentena enfim acabar, a dona de casa disse que pode até colocar como uma opção.

As compras de mantimentos on-line se tornou uma opção para a família de Luciene dos Santos quando percebeu que poderia expor os pais idosos ao vírus, que já vitimou milhares de pessoas pelo mundo. “Para esse mês estou pensando em fazer a compra pela internet, no site do mercado mesmo. Não tem como sair sabendo que posso trazer esse vírus para casa e infectar meus pais que tem mais de 70 anos”, comentou.

Além das compras no site dos mercados, os moradores têm a opção de comprar por aplicativos de celulares e até mesmo ligar em alguns estabelecimentos fazendo o pedido. O cliente pode ter desde frete grátis dependendo do valor de compras, até uma taxa de R$ 17. Valor que, segundo Luciene, é o valor para solicitar um motorista de aplicativo para ir e voltar para casa.

Supermercados se adaptam

Diante da crise causada pela pandemia e com menos pessoas nos corredores dos supermercados, alguns estabelecimentos buscam alternativas para ‘driblar’ o coronavírus e cativar a fidelidade do cliente. Supermercados adotam estratégias como o delivery, para evitar aglomerações nos locais.

Há estabelecimentos que pagam o transporte individual por aplicativo para os funcionários, uma forma de evitar que os trabalhadores se contaminem com a doença no transporte coletivo.

Em abril, o Jornal Midiamax foi até um supermercado do bairro São Francisco, onde já era possível perceber uma redução de 30% no fluxo de pessoas nos corredores. Segundo a gerente, os clientes têm optado por fazer as compras sozinhos, para evitar aglomeração. “Antes, vinha a família inteira fazer compras e, consequentemente, consumiam mais”, diz.

Para driblar a redução no movimento e também para ajudar os consumidores idosos, o supermercado adotou a opção de delivery. Os clientes ligam para o estabelecimento e fazem o pedido para receber em casa.

Também no São Francisco, um supermercado optou por pagar o transporte por aplicativo para os funcionários. Assim, eles chegam ao trabalho na hora e ainda evitam a contaminação do coronavírus nos ônibus.

Faltou arroz e feijão? Delivery é alternativa de moradores para compras em supermercado
Mais notícias