Da serra gaúcha a resorts: sul-mato-grossenses programam viagens sem economizar nos destinos

Com viagens de até R$ 10 mil, os moradores de Mato Grosso do Sul já estão garantindo as viagens para 2021

“Saudade de viajar, né, minha filha?”. Como já diz o que tomou conta das redes sociais nos últimos meses, os brasileiros já começam a sentir aquela saudade de ‘turistar’ por aí, seja em viagens locais, no Brasil e até mesmo para outros países. A pandemia da freou o setor de turismo, mas para os próximos meses a expectativa é de muitos moradores de Mato Grosso do Sul arrumando as malas para viajar.

Com destinos que da Serra Gaúcha até resorts no Nordeste, os sul-mato-grossenses já programam as viagens de sem pensar em economizar após seis meses de reservas praticamente zeradas no setor.

Conforme uma das maiores agências de viagens do país, a CVC, o turismo tem sido retomado aos poucos e a preferência dos brasileiros são os destinos nacionais. Antes da pandemia, pelo menos 70% dos clientes da rede viajavam dentro do Brasil e a preferência prevalece também nesse momento de retomada.

Destinos

De acordo com o levantamento da empresa, os destinos mais procurados pelos clientes de Mato Grosso do Sul são: Porto de Galinhas, Resorts da Linha Verde da Bahia, como Imbassaí, Praia do Forte e Costa do Sauípe; Fortaleza e Natal. Alguns desses destinos chegam a custar R$ 10 mil com reserva e voo para um casal passar cinco dias.

Mas também há aqueles que preferem conhecer a o sul do país. A Serra Gaúcha aparece como uma das opções mais desejadas de viagens pelos sul-mato-grossenses. Em média, passar cinco dias em Gramado, por exemplo, pode custar R$ 4 mil para um casal.

A empresa explicou que a maioria dos clientes tem procurado primeiramente realizar reversas em hotéis que tenham a garantia das medidas de biossegurança contra o coronavírus. Depois, os turistas procuram consultar os valores dos bilhetes aéreos e, de acordo com o levantamento da empresa, a maioria procura por reservas para o final de ano e férias de janeiro a fevereiro.

Expectativa

Os indicativos que mostram que o turismo vai “voltar com tudo”, são a procura por orçamentos dos pacotes que, segundo a companhia, cresceu 85% em setembro. E no mesmo mês, até a última semana, as vendas totais nas agências cresceram aproximadamente 35%, sendo 45% no segmento lazer.

Segundo o empresário Gustavo Maciel Santos, da GMS Tour, empresa em Campo Grande, o turismo tem tido um retorno gradual das atividades e disse que, após os seis meses em que setor “amargou crise”, a expectativa é de boa procura para os próximos meses.

“Está tendo bastante procura para o final do ano e também para o período de janeiro e fevereiro. De uma forma geral é possível ver que os hotéis, receptivos, companhias aéreas e os restaurantes estão se adaptando bem para passar por esse momento. E acredito que quando começar a vacinação devemos ter uma retomada maior em nosso segmento”, pontuou.

Da serra gaúcha a resorts: sul-mato-grossenses programam viagens sem economizar nos destinos
Mais notícias