Confeiteira do São Caetano faz vaquinha para terminar a casa e abrir doceria móvel

Com a pandemia, a venda de doces de Gleice Gauna de Paula caíram e a doceira teve que encontrar outras estratégias

O ramo da confeitaria e culinária foi um dos que mais cresceu durante o período da pandemia do coronavírus no Brasil. Mas nem todos tem essa facilidade e disposição financeira. A confeiteira Gleice Gauna de Paula, do bairro São Caetano, viu as vendas físicas caírem e teve a ideia de fazer uma vaquinha para comprar um Kombi e realizar sonho.

Após desemprego repentino, Gleice começou a fazer doces para ajudar na renda da família depois de assistir vídeos no Youtube, já que não tinha condições financeiras para fazer um curso profissionalizante. A inspiração foi a avó, que desde que se lembrar já fazia salgados caseiros para vender no bairro.

Confeiteira do São Caetano faz vaquinha para finalizar casa própria e abrir doceria móvel
Gleice Gauna de Paula quer conseguir fundos para construir confeitaria móvel e casa própria para família (Foto: Arquivo Pessoal)

Começou fazendo encomendas de algodão doce e maçãs do amor, depois começou a sair pelos bairros próximos para vender bolos de pote. Mas com as vendas baixas por causa da pandemia do coronavírus, Gleice e a família passaram por dificuldades financeiras e foram morar na casa da mãe da confeiteira de favor.

“Eu tenho um carrinho velho que usava para fazer minhas entregas mas acabou que ele quebrou. Era meu grande apoio para poder entregar encomendas que recebia. Estamos com tudo parado, sem carro não posso trabalhar para poder terminar minha casa”, conta Gleice.

Desmotivada, a mãe de 3 filhos caiu em depressão. Além disso, percebeu que sentia um cansaço extremo durante as verdadeiras peregrinações para fazer as vendas na região e que precisava de exames de rotina. Foi em busca de tratamento psicológico e decidiu buscar novas formas para continuar atuando com a paixão.

Novos horizontes e vaquinha

Para dar a volta por cima, criou uma vaquinha online para comprar uma Kombi e fazer uma ‘doceria móvel’. Além disso, parte do valor arrecadado será destinado a ajudar a família a terminar de construir a casa própria, onde planeja a confeitaria própria. Na casa atual, a confeiteira não tem espaço e um fogão potente, mas deseja se aperfeiçoar no que gosta.

“Pensei em fazer a vaquinha para terminarmos a nossa casa e pelo meu sonho de comprar uma Kombi e montar minha doceria. Como eu estava em depressão, muitos me disseram para eu focar em algo que eu gostasse de fazer para ocupar minha cabeça e me ajudar a melhorar. Montei a vaquinha para conseguir a doceria móvel e gostaria da ajuda”, ressalta Gleice.

Para ajudar a confeiteira com a realização do sonho, basta contribuir com a quantia desejada através do link da vaquinha online ou encomendar algum dos doces de Gleice, como maçãs do amor, algodão doce, trufas, bolos e cupcakes, pelo telefone (67) 9633-2009 ou pela página Delícias da Anny no Facebook.


Fale MAIS!

O que você gostaria de ler no MidiaMAIS? Envie sua sugestão para o e-mail midiamais@midiamax.com.br, ou pelo telefone (67) 99965-7898. Siga a gente no Instagram – @midiamax

Confeiteira do São Caetano faz vaquinha para terminar a casa e abrir doceria móvel
Mais notícias