Com 4 filhos, mãe se tornou influenciadora digital e prega a auto aceitação

Gracy Kelly Faria começou trabalho nas redes sociais depois que um post sobre a condição que possui, vitiligo, viralizou em 2017 e se tornou social media

As redes sociais estão mais em alta do que nunca devido ao isolamento social e maior tempo em casa que grande parte dos brasileiros passaram a ficar. Produzir conteúdo virou uma profissão para muitos nesse meio tempo mas para a influenciadora Gracy Kelly o trabalho com a internet começou um pouco antes.

O nome dado pela mãe em referência à princesa de Mônaco e atriz dos anos 50 pode dar a impressão de luxuosidade, mas não foi assim que a ex-vendedora de lojas de departamento conquistou os mais de 20 mil seguidores que coleciona no .

Intimismo à flor da pele

Em 2017, um post em que retrata a condição crônica que têm, o vitiligo, a fez viralizar. Na publicação, Gracy conta sobre o bullying e preconceito das pessoas que sofreu desde a infância, como apelidos de “neve, Michael Jackson” ou pessoas que acham que a condição era transmissível.

“Eu fiz um post no insta falando sobre o vitiligo (sou portadora), falei sobre minha tristeza com os apelidos e brincadeiras. E esse post deu muita gente curtindo. Muitas pessoas me mandaram mensagem no direct por causa dele. Eu tinha 200 seguidores na época, em 2 dias eu estava com 4 mil seguidores”, relembra.

Com 4 filhos, mãe se tornou influenciadora digital e prega a auto aceitação
(Reprodução, Arquivo Pessoal)

Segundo conta a influenciadora, a condição não tem cura, gira em torno do emocional do portador e teve início quando tinha 10 anos após o trauma da separação dos pais. Apesar de não a incomodar atualmente, o vitiligo já a fez perder vagas de emprego e foi motivo de vergonha.

“Emocionalmente é tranquilo, eu já me aceitei e me acho linda. Antes eu sofria, só usava roupas que escondiam e tinha vergonha. Hoje não. Eu me aceitei e incentivo isso a outras pessoas. Eu era vítima da minha história o tempo todo, hoje não sou mais”, frisa Gracy.

Gestação das mídias

Com a repercussão, a ex-vendedora decidiu investir na produção de conteúdo enquanto equilibrava a rotina de influenciadora com o trabalho. Apostou no conteúdo de dicas de maternidade, já que tinha experiência de sobra com os 4 filhos de 1 a 13 anos, e passou a viver da rede social.

Com 4 filhos, mãe se tornou influenciadora digital e prega a auto aceitação
(Reprodução, Arquivo Pessoal)

Estampando o título de ‘Maternidade Real’, em janeiro de 2020 teve um salto orgânico de mais de 10 mil seguidores, 9 mil em uma semana. Segundo a influenciadora, os post são sempre baseados na verdadeira rotina de uma mulher que é mãe, longe do perfeccionismo que existe entre as blogueiras.

“Então, comecei a mostrar para as famílias que todo mundo passa por essa fase. Por que os grandes influenciadores às vezes passam uma realidade que não existe. Da família da propaganda de margarina, sabe? E eu quis fazer o contrário, mostra a realidade nua e crua”.

Gracy foca em contar as minhas experiências como mãe e como isso ajuda muitas famílias. Segundo ela, às vezes a mamães pensam que só elas passam por dias difíceis de maternidade ou que só o filho dela tem ‘tal fase’. Contando a vivência própria, se conectou com outras mãe e até papais buscando ajuda.

Com 4 filhos, mãe se tornou influenciadora digital e prega a auto aceitação
(Reprodução, Arquivo Pessoal)

Então, a influenciadora deixou o emprego secundário e passou a se especializar em mídias sociais para obter uma renda dos serviços de gestão de empresas. Em junho de 2020, realizou o sonho de abrir o próprio negócio com a GK Social Media e desenvolveu um método de engajamento orgânico para os clientes.

“Posso falar de estratégias de mídias com autoridade, pelo meu próprio vê se isso. Sou uma influenciadora muito engajada graças a Deus. A parte ruim é as pessoas te cobram a perfeição. Nos meus stories mostro minha realidade 100%. As pessoas observam cada movimento de um influenciador porque isso é normal, e a internet se torna sua casa, com pessoas de todos os tipos. Algumas que estão ali por que gostam de você e outras que estão ali apenas esperando um vacilo”, reitera.

Estratégias e dicas

O Jornal Midiamax perguntou à influenciadora e social media quais são os principais passos para iniciar uma carreira ou um negócio nas redes sociais, ação que no mercado tecnológico de hoje é imprescindível e que ganhou força em 2020 com a chegada da pandemia. Confira algumas delas:

  • “Sempre deixe sua essência em evidência. Não seja igual a todo mundo, foque em um nicho que de fato tenha a ver com você e com o que você ama”.
  • “Tenha horário para trabalhar no para não atrapalhar sua vida e suas relações”.
  • “Não se cobre por números. Devagar você chega lá. O importante é fazer isso pensando em levar relevância a vida das pessoas, ainda que no começo ninguém ‘parece se importar’”.

Fale MAIS!

O que você gostaria de ler no MidiaMAIS? Envie sua sugestão para o e-mail midiamais@midiamax.com.br, ou pelo telefone 67 99965-7898. Siga a gente no @midiamax

Com 4 filhos, mãe se tornou influenciadora digital e prega a auto aceitação
Mais notícias