Após desemprego, costureira passou a fazer laços para pets para aumentar renda

Luana Bispo, acompanhada do marido, decidiu investir no ramo durante a pandemia e viu oportunidade de empreender

Com a pandemia, diversos empreendedores tiveram que encontrar novos nichos que não sofreram com as paralisações para poderem alçar novos sonhos. Foi o caso da costureira Luana Bispo, que trabalhava como vendedora em Campo Grande, mas após desemprego decidiu apostar na produção de laços para pets e hoje tem uma renda mensal fixa.

A experiência do marido, Eduardo Soares, com animais foi imprescindível para que os dois escolhessem o ramo para empreender. O casal se conheceu em um petshop onde trabalhavam juntos, se casaram há 4 anos e tiveram duas filhas. Eduardo é tosador profissional há 15 anos e percebia que o custo dos laços para cães era muito alto e os padrões não eram animadores para os clientes. Então, Luana teve a ideia de abrir na sala de casa uma mini-fábrica de laços para cães.

“Como ele conhece muito bem esse ramo de pet, estávamos pensando em como ter uma ideia que unisse o útil ao agradável. Ele se queixava do custo alto dos acessórios de banho, como laços, gravatas, gargantilhas, borrachinhas para penteados e etc… Então, falei para ele que queria fazer laços e comecei a pesquisar”, conta Luana em entrevista ao Jornal Midiamax.

A costureira encontrou uma máquina amadora e uma distribuidora que fornece as fitas e acessórios que utiliza para decorar os laços. Aprendeu a fazer os laços sozinha desmontando modelos prontos. Desde então, começaram com encomendas pequenas, fizeram uma página nas redes sociais e cartões de visitas.

“Começamos a fazer brindes e entregas porque foi dando resultado. Hoje, fornecemos para grandes pet shops conceituados e dos bairros, que nos trazem grandes faturamentos. Saí do emprego e agora só fabrico os laços, enquanto meu esposo é tosador e professor de banho e tosa”, conta a empreendedora.

Retorno e flexibilidade

Além do retorno financeiro inesperado que o casal obteve com o negócio, a costureira e ex-vendedora destaca a flexibilidade que abrir um pequeno negócio trouxe para a vida pessoal. Com a pandemia, e escolas fechadas, as filhas do casal ficavam durante o expediente com a avó. Hoje, trabalhando de casa, Luana passa a maior parte do dia com as filhas de 3 e 5 anos.

“Já estou adquirindo mais uma máquina de corte, e já está no planos de fazer um salão, onde possa ser usado só para a produção, pois preciso de espaço pq cada vez mais as encomendas estão grandes! Ideias não são feitas para ficar na cabeça, tem que pôr em prática. Não importa a situação, tem que arriscar para dar certo”, finaliza.

Para saber mais sobre o trabalho do casal com laços e acessórios para pets, basta acessar o perfil no (@malulacospet) ou pelo telefone (67) 99608-6062.


Fale MAIS!

O que você gostaria de ler no MidiaMAIS? Envie sua sugestão para o e-mail midiamais@midiamax.com.br, ou pelo telefone (67) 99965-7898. Siga a gente no @midiamax

Após desemprego, costureira passou a fazer laços para pets para aumentar renda
Mais notícias