Nacional, da República, à Bandeira e do Estado: Quais hinos você sabe?

Depois de um e-mail enviado pelo MEC para escolas brasileiras pedindo que alunos cantem o hino nacional, uma polêmica se instalou na web

Você cantava o hino nacional na escola quando criança enquanto hasteava a bandeira? Sabe o hino nacional de cor e as palavras corretas da música patriota? A discussão veio à tona nas redes sociais depois que o Ministério da Educação enviou na última segunda-feira (25) um e-mail às escolas pedindo que o Hino Nacional seja cantado pelos alunos e que sejam gravadas e enviadas imagens. No texto, o ministro usou slogan de campanha de Jair Bolsonaro.

O comunicado ainda pede que seja lida para as crianças uma carta do ministro Ricardo Vélez Rodriguez que termina com o slogan do governo:

“Brasileiros! Vamos saudar o Brasil dos novos tempos e celebrar a educação responsável e de qualidade a ser desenvolvida na nossa escola pelos professores, em benefício de você, alunos, que constituem a nova geração. Brasil acima de tudo. Deus acima de todos!”, diz o texto.

Segundo a pasta, o e-mail não é uma ordem, mas uma orientação. “Para os diretores que desejarem atender voluntariamente o pedido do ministro, a mensagem também solicita que um representante da escola filme (com aparelho celular) trechos curtos da leitura da carta e da execução do hino”, diz a nota.

Nas redes sociais, o ocorrido teve reações adversas entre os apoiadores e oposição: No Twitter, o deputado federal Marcelo Freixo (PSOL-RJ) classificou o episódio como “gravíssimo” e disse que vai denunciar Vélez por crime de responsabilidade.

Já a deputada estadual eleita por São Paulo falou que ‘tentar transformar um e-mail do ministro da Educação em crime de responsabilidade’ demonstra ‘desproporção das próprias reações’, mas sugeriu que Ricardo Vélez Rodríguez ‘contrate urgentemente um assessor jurídico’.

Quais hinos você conhece? Separamos alguns que talvez trarão algumas surpresas e também novidades que você não sabia…

Hino Nacional e Hino da Proclamação da República

A letra foi escrita por Joaquim Osório Duque Estrada e a música, elaborada por Francisco Manuel da Silva. O Hino Nacional Brasileiro foi criado em 1831 e teve diversas denominações antes do título, hoje, oficial. Ele foi chamado de Hino 7 de abril (em razão da abdicação de D. Pedro I), Marcha Triunfal e, por fim, Hino Nacional.

Com o advento da Proclamação da República e por decisão de Deodoro da Fonseca, que governava de forma provisória o Brasil, foi promovido um Grande Concurso para a composição de outra versão do Hino. Participaram do concurso, 36 candidatos; entre eles Leopoldo Miguez, Alberto Nepomuceno e Francisco Braga.

O vencedor foi Leopoldo Miguez, mas o povo não aceitou o novo hino, já que o de Joaquim Osório e Francisco Manuel da Silva havia se tornado extremamente popular desde 1831. Através da comoção popular, Deodoro da Fonseca disse: “Prefiro o hino já existente!”. Deodoro, muito estrategista e para não contrariar o vencedor do concurso, Leopoldo Miguez, considerou a nova composição e a denominou como Hino da Proclamação da República.

Confira a letra correta do Hino Nacional Brasileiro:

Parte I

Ouviram do Ipiranga as margens plácidas
De um povo heroico o brado retumbante,
E o sol da liberdade, em raios fúlgidos,
Brilhou no céu da pátria nesse instante.
Se o penhor dessa igualdade
Conseguimos conquistar com braço forte,
Em teu seio, ó liberdade,
Desafia o nosso peito a própria morte!
Ó Pátria amada,
Idolatrada,
Salve! Salve!
Brasil, um sonho intenso, um raio vívido
De amor e de esperança à terra desce,
Se em teu formoso céu, risonho e límpido,
A imagem do Cruzeiro resplandece.
Gigante pela própria natureza,
És belo, és forte, impávido colosso,
E o teu futuro espelha essa grandeza.
Terra adorada,
Entre outras mil,
És tu, Brasil,
Ó Pátria amada!
Dos filhos deste solo és mãe gentil,
Pátria amada,
Brasil!

Parte II

Deitado eternamente em berço esplêndido,
Ao som do mar e à luz do céu profundo,
Fulguras, ó Brasil, florão da América,
Iluminado ao sol do Novo Mundo!
Do que a terra, mais garrida,
Teus risonhos, lindos campos têm mais flores;
“Nossos bosques têm mais vida”,
“Nossa vida” no teu seio “mais amores.”
Ó Pátria amada,
Idolatrada,
Salve! Salve!
Brasil, de amor eterno seja símbolo
O lábaro que ostentas estrelado,
E diga o verde-louro dessa flâmula
– “Paz no futuro e glória no passado.”
Mas, se ergues da justiça a clava forte,
Verás que um filho teu não foge à luta,
Nem teme, quem te adora, a própria morte.
Terra adorada,
Entre outras mil,
És tu, Brasil,
Ó Pátria amada!
Dos filhos deste solo és mãe gentil,
Pátria amada,
Brasil!

Hino da Proclamação da República

Seja um pálio de luz desdobrado.
Sob a larga amplidão destes céus
Este canto rebel que o passado
Vem remir dos mais torpes labéus!
Seja um hino de glória que fale
De esperança, de um novo porvir!
Com visões de triunfos embale
Quem por ele lutando surgir!

[refrão]

Liberdade! Liberdade!
Abre as asas sobre nós!
Das lutas na tempestade
Dá que ouçamos tua voz!
Nós nem cremos que escravos outrora
Tenha havido em tão nobre País…
Hoje o rubro lampejo da aurora
Acha irmãos, não tiranos hostis.
Somos todos iguais! Ao futuro
Saberemos, unidos, levar
Nosso augusto estandarte que, puro,
Brilha, avante, da Pátria no altar!

[refrão]

Se é mister que de peitos valentes
Haja sangue em nosso pendão,
Sangue vivo do herói Tiradentes
Batizou este audaz pavilhão!
Mensageiros de paz, paz queremos,
É de amor nossa força e poder
Mas da guerra nos transes supremos
Hás de ver-nos lutar e vencer!

[refrão]

Do Ipiranga é preciso que o brado
Seja um grito soberbo de fé!
O Brasil já surgiu libertado,
Sobre as púrpuras régias de pé.
Eia, pois, brasileiros avante!
Verdes louros colhamos louçãos!
Seja o nosso País triunfante,
Livre terra de livres irmãos!

Hino à Bandeira

A letra foi escrita pelo poeta Olavo Bilac e a música composta por Francisco Braga. O hino foi apresentado pela primeira vez em 09 de novembro de 1906 e foi destinado a ser um substituto para o Hino Nacional.

O Hino à Bandeira Brasileira (como todos os outros hinos patrióticos e hinos) foi muito elogiado no passado, especialmente durante a ditadura de 1964-1985, mas perdeu recentemente seu apelo. Ele ainda é realizada em 19 de novembro (Dia da Bandeira).

A bandeira do Brasil, foi criada com a Proclamação da República. Ela levou quatro dias para ser feita, foi criada por quatro pessoas e o decreto que a instaurou, no dia 19 de novembro de 1889, foi o quarto do Governo provisório da República.

Confira letra do Hino à Bandeira:

Parte I

Salve, lindo pendão da esperança,
Salve, símbolo augusto da paz !
Tua nobre presença lembrança
A grandeza da Pàtria nos traz

Recebe o afeto que se encerra
Em nosso peito juvenil
Querido símbolo da terra,
Da amada terra do Brasil !

Parte II – (REFRÃO)

Em teu seio formoso retratas
Este céu de puríssimo azul;
A verdura sem par destas matas
E o esplendor do Cruzeiro do Sul.

Recebe o afeto que se encerra
Em nosso peito juvenil
Querido símbolo da terra,
Da amada terra do Brasil !

Parte III

Contemplando o teu vulto sagrado,
Compreendemos o nosso dever;
E o Brasil por seus filhos amado,
Poderoso e feliz hà de ser

Recebe o afeto que se encerra
Em nosso peito juvenil
Querido símbolo da terra,
Da amada terra do Brasil !

Parte IV

Sobre a imensa Nação Brasileira,
Nos momento de festa ou de dor,
Paira sempre a sagrada Bandeira,
Pavilhão da justiça e do amor.

Recebe o afeto que se encerra
Em nosso peito juvenil
Querido símbolo da terra,
Da amada terra do Brasil!

Hino do Estado de Mato Grosso do Sul

O Hino de Mato Grosso do Sul foi escolhido por concurso. Foi instituído pelo decreto nº 3 de 1 de janeiro de 1979 e tem letra de Jorge Antônio Siufi e Otávio Gonçalves Gomes, e música de Radamés Gnattali. O hino ressalta as belezas naturais do estado e traz diversos personagens históricos.

São eles: Vespasiano Martins: Político que lutou pela divisão do estado, foi prefeito de Campo Grande e também senador; Camisão e Antônio João: Heróis que lutaram na Guerra do Paraguai em defesa das terras sul-mato-grossenses; Guaicurus: Conhecido como índios cavaleiros, são lembrados pela habilidade em lutar, resistindo a influência de outros povos; Ricardo Franco: Protetor do Forte Coimbra.

Confira a letra do hino de MS: 

Os celeiros de farturas,
Sob um céu de puro azul,
Reforjaram em Mato Grosso do Sul
Uma gente audaz.
Tuas matas e teus campos,
O esplendor do Pantanal,
E teus rios são tão ricos
Que não há igual.

(Refrão)

A pujança e a grandeza
de fertilidades mil,
São o orgulho e a certeza
Do futuro do Brasil.

Moldurados pelas serras,
Campos grandes: Vacaria,
Rememoram desbravadores,
Heróis, tanta galhardia!
Vespasiano, Camisão
E o tenente Antônio João,
Guaicurus, Ricardo Franco,
Glória e tradição!

(Refrão)

A pujança e a grandeza
de fertilidades mil,
São o orgulho e a certeza
Do futuro do Brasil.

Hino de Campo Grande

O hino de Campo Grande foi criado 46 anos depois da fundação da cidade em 1872 e 19 anos após a sua emancipação em 26 de Agosto de 1899. A letra e música são de Trajano Balduíno de Souza e os
arranjos do Maestro Vitor Marques Dinis, além da melodia composta pelo Prof. Hildebrando Campestrini.

Entre seus moradores é possível encontrar descendentes de espanhóis, italianos, portugueses, japoneses, sírio-libaneses, armênios, paraguaios e bolivianos. A qualidade de vida de Campo Grande acabou atraindo também muitas pessoas de outros estados do Brasil, especialmente dos estados vizinhos (São Paulo, Paraná e Minas Gerais) e do Rio Grande do Sul.

Confira a letra do hino de Campo Grande: 

Parte I
Campo Grande que outrora um deserto,
Transformou-se em cidade primor,
É de jóias escrínio aberto,
É uma gema de fino lavor!

Parte II
(Estribilho)
A cidade onde todos vivemos,
Aprendamos fiéis defender!
Nosso afeto à ela sagremos
E felizes assim hemos ser.
Nosso afeto à ela sagremos
E feliz assim hemor ser.

Parte III
Quanta luz, quanto gozo sem par!
Nos legou nosso amado País!
Oh! Que terra ditosa é meu lar!
Campo Grande é feliz, é feliz!

Parte IV
(Estribilho)
A cidade onde todos vivemos,
Aprendamos fiéis defender!
Nosso afeto à ela sagremos
E felizes assim hemos ser.
Nosso afeto à ela sagremos
E felizes assim hemos ser.

Parte V
Mato Grosso do Sul, Campo Grande,
E Brasil, eis a tríade sagrada,
Em louvá-los minh’alma se espande
Morrerei pela Pátria adorada.

Parte VI
(Estribilho)
A cidade onde todos vivemos,
Aprendamos fiéis defender!
Nosso afeto à ela sagremos
E felizes assim hemos ser.
Nosso afeto à ela sagremos
E felizes assim hemos ser.

Mais notícias