Notícias de Mato Grosso do Sul e Campo Grande

Acha que consegue ficar sem celular? Faça o teste

Nomofobia é nome dado ao medo de ficar longe do aparelho

Quanto tempo você consegue ficar sem tocar no celular? Já fez o teste? Com certeza já ouviu um toquezinho ou assovio e achou que fosse uma notificação. Na realidade de hoje, onde tudo está conectado pelas redes sociais e na praticidade dos aparelhos móveis, é cada vez mais difícil tirar aquele tempo para se desligar.

Conforme aponta a União Internacional de Telecomunicações (UIT) com mais de 7 bilhões de aparelhos móveis de telefone sendo usados pelo mundo todo, estima-se que 60% dos usuários sofrem com a dependência do objeto.

Esse “vício” é chamado de Nomofobia. A nomofobia é a síndrome psicológica que ocorre quando uma pessoa sente medo de ficar sem o seu telefone celular, incluindo o medo da ausência de sinal e da falta de bateria.

O termo foi criado em 2008, a partir de uma expressão em inglês “no-mobile-phone-phobia”(em português: fobia de estar sem celular) usada em um estudo britânico para descobrir as reações psicológicas e o nível de estresse causados pelo uso do celular.

Entre os efeitos da Nomofobia estão: fobia social, ansiedade social e transtorno de pânico. Alguns dos principais preditores da síndrome são o uso precoce de aparelhos celulares desde pouca idade, alta extroversão ou introversão, impulsividade e senso de urgência.

Recentemente, o cantor Armandinho publicou em seu Instagram a decisão de deixar os smartphones de lado e passar a usar um celular apenas para ligações. O cantor de “Outra Vida” justificou a decisão por “estar viciado” e ter “chegado ao seu limite”.

Acho extremamente brega as pessoas se unirem nos restaurantes e depois de minutos se abandonarem mesmo continuando juntas. Acho extremamente burro, as pessoas viajarem e ao invés de contemplar a paisagem, ficarem jogando joguinhos. Acho extremamente perigoso dirigir ao volante no WhatsApp , acho triste sermos escravizados como nos filmes, algemados sem ter algemas, e pagar 7000 mil reais pra ser preso. Meus olhos foram destruídos, minha ansiedade piorou. E assim como o álcool na minha vida, o Smartphone me destrói e faz com que ao invés de estar escrevendo e tocando violão, esteja usando meu tempo criativo pra imaginar sentimentos e julgar coisas que nem sempre são reais na vida dos outros. Usarei a partir de agora este telefone convencional e uma câmera Go Pro pra viajar e mais nada. Mando as fotos e os textos para o escritório e eles postam pra mim. Não quero dizer se é certo ou errado. Cada um faz o que achar melhor da sua vida. Desculpem o desabafo, mas cheguei no limite dessa loucura toda. Sou Viciado em Smartphone. Não quero mais. “Não tenho mais WhatsApp”, mandem mensagens SMS. Valeu.

A post shared by Armandinho (@armandinhoebanda) on

O acadêmico Álvaro Dias diz que, além do trabalho e dia a dia, morar longe dos pais e saber como estão é motivo de estar atento ao celular a todo momento. Por ser ansioso por natureza, acha que o celular traz tranquilidade e não acha o uso um problema. “Nunca fiquei sem o celular, pelo menos não propositalmente. Já aconteceu de estar em algum lugar e ficar sem bateria e eu enlouquecer totalmente. Ficar preocupado de que alguém tentasse falar comigo e não conseguisse. O problema que vejo em relação à utilização exagerada do celular é na educação das crianças. Hoje em dia elas brincar com celulares e ipads desde o início da vida praticamente e não conseguem se exercitar e realizar atividades que sejam saudáveis para elas”.

Já o acadêmico Lucas Silva chegou a ficar 76 dias sem celular ou smartphone. O motivo? O antigo tinha quebrado e o novo, importado, demorou para chegar. Para ele, a experiência foi importante para mudar a sua perspectiva de vida. “Chega um momento que a conversa cessa e todo mundo usa o celular como válvula de escape e você não. Isso é bem péssimo e não passaria pela experiência de novo, mas serviu de lição. Pude notar como esse vício é presente no atual cenário. Hoje tenho a consciência de não ficar o tempo todo numa festa ou roda de amizade no celular porque a gente tá lá pra conviver e conversar com as pessoas no entorno e não ficar ali preso”.

Teste

O quiz foi retirado do artigo “Computadores em Comportamento Humano”, criado por Caglar Yildirim, da Universidade Estadual de Iowa. Para fazer o teste é preciso que você dê uma nota de 1 a 7 para o quanto você concorda com as afirmações abaixo. (Sendo 1 para “discordo plenamente” e 7 para “concordo plenamente”).

Depois disso, veja quais notas foram maiores do que 5 na escala. Se você deu cinco ou mais para a maioria das frases, é sinal de que você está dependente o celular. Confira as frases abaixo:

  1. Fico desconfortável quando não tenho acesso constante a informações por meio do meu smartphone.
  2. Fico irritado quando não posso procurar informações no meu smartphone a hora que quero.
  3. Fico nervoso quando não consigo receber as novidades (como notícias ou previsão do tempo, por exemplo) do meu celular.
  4. Fico irritado quando não posso usar meu smartphone ou suas capacidades imediatamente quando desejo.
  5. Quando meu celular está ficando sem bateria entro em desespero.
  6. Quando fico sem créditos ou atinjo o meu limite mensal de dados entro em pânico.
  7. Quando fico sem sinal ou sem contato com a internet, fico verificando a cada instante se a rede já voltou ao normal até isso acontecer.
  8. Quando estou sem meu celular sempre penso que posso ficar preso em algum lugar e precisar dele.
  9. Quando estou em algum lugar onde é proibido o uso de celular fico ansioso para poder mexer nele.

Se eu não tivesse meu smartphone comigo,

  1. Eu me sentiria ansioso porque não conseguiria me comunicar instantaneamente com minha família e amigos.
  2. Eu ficaria preocupado porque minha família e amigos não poderiam me contatar.
  3. Eu ficaria nervoso porque eu não seria capaz de receber mensagens de texto e chamadas.
  4. Eu ficaria ansioso porque não conseguiria manter contato com minha família e amigos.
  5. Eu me sentiria ansioso porque minha conexão constante com minha família e amigos seria quebrada.
  6. Eu ficaria nervoso porque ficaria desconectado das minhas redes sociais.
  7. Eu me sentiria ansiosa porque não poderia verificar minhas mensagens de e-mail.
  8. Eu me sentiria estranho porque não saberia o que fazer.
Você pode gostar também