Por conta de queima de fogos, donos de pets passam réveillon em casa

Relatos de morte de animais ganharam redes

Mais um ano que termina com o debate que divide opiniões: afinal, fogos barulhentos na virada de ano são ok ou não? Para os donos de animais de estimação, a resposta é definitivamente ‘não’. Isso porque o transtorno que o barulho dos fogos causa nos animais pode ter consequências terríveis – desde animais que fogem de casa, episódios convulsivos (veja vídeo) e até morte por parada cardíaca.

Por conta da necessidade de amparar os animais, muitos tutores acabam desistindo de viajar ou até mesmo de sair de casa nas festas de fim de ano, principalmente no réveillon, quando o estouro de fogos costuma ser mais intenso. Além disso, campanhas contra os fogos barulhentos ganharam bastante força nas redes sociais em 2017, com postagens que ganharam cada vez mais espaços nas linhas do tempo de sites como o Facebook e o Instagram, as redes sociais mais populares atualmente.

 

 

Existe até projeto de lei em tramitação no Congresso Nacional que quer proibir a realização de shows pirotécnicos que promovam poluição sonora. Apresentada pelo deputado federal Ricardo Izar (PP-SP), a matéria quer que a proibição abraja todo o território nacional com rpevisão de multa e até detenção de quem descumprir a regra. A matéria está em consulta pública no site do Senado.

Campanhas ganharam as redes (Reprodução/Facebook)A ideia agrada a manicure Maísa Oliveira, de 43. Dona de quatro cães que resgatou na rua, ela passa sempre o réveillon em casa para proteger seus animais durante a queima de fogos. “E pra completar ainda inventaram de estourar fogos no Natal, também, que antes era tranquilo. É muito ruim, porque se você sai de casa, quando volta pode encontrar seus animais machucados e até mortos”, conta.

“Na noite de Natal, encheram a rua de fogos e o meu cachorrinho que era cardiopata, acabou falecendo… No dia seguinte, o mesmo vizinho dos fogos acabou jogando veneno nas casas pra matar os animais e meu outro cão ingeriu e está internado”, também relata a vendedora Eliza Souza, de 21 anos.

Outros prejudicados

De forma geral, quem é contra os fogos também aumenta o rol de prejudicados. De fato, há casos em que idosos, bebês e até mesmo adultos sofrem com crises de labirintinte durante. “Olha, fogos são tortura pra qualquer um… Crianças, animais e idosos, principalmente… Meu filho fim de ano só falta morrer. Todo ano eu choro. Meu gatos entram dentro do guarda roupas. E é torcer pra não morrer”, desabafa Eliza Souza.

(Reprodução/Pinterest)

“Queimas de fogos barulhentos também são prejudiciais à fauna antiva, principalmente às aves. Numa cidade como Campo Grande, por exemplo, que tem araras, tucanos e outros animais pela cidade, fazer queima de fogos em bairros que são próximos de matas e de reservas ambientais é uma tortura aos animais. As pessoas deveriam ter mais sensibilidade. Não prejudicaria nada a festa do réveillon se não tivesse fogos. Ou se usassem os modelos silenciosos”, acrescenta o biólogo Eduardo Martins, de 29 anos.

Proteger os pets

Enquanto não há regulamentação sobre o nível de barulho dos fogos e nem sobre os transtornos que eles podem causar, existem algumas medidas paliativas que podem evitar o estresse em animais. As dicas iniciais são providenciar um local seguro para que o animal fique acomodado durante a queima de fogos, mas, além disso, com bastante antecedência, tratamentos homeopáticos também podem prevenir o estresse.

“A homeopatia aumenta a tolerância e a sensação de segurança dos animais frente ao medo por barulhos intensos. O ideal é iniciar o tratamento antes das festas visando o preparo daqueles animais que já apresentaram histórico de estresse devido os fogos”, esclarece a médica veterinária e diretora da Sigo Homeopatia Veterinária Mônica Souza. Segundo ela, caso ocorra algum tipo de ferimento devido o desespero do animal (alguns se machucam ao se jogarem em portas de vidros ou escalar muros e grades), deve-se entrar com um tratamento para traumas, também homeopático.

Na internet, há muitos relatos de que enfaixar animais no peito seguindo as recomendações abaixo (veja imagem) podem um abraço no pet e promover menos aflição aos animais.

(Reprodução/Pinterest)

No geral, as dicas para proteger animais são várias. Confira abaixo as mais comuns:

  • Manter seu pet em um local seguro e sem acesso à rua, evitando assim que fuja assustado. 
  • Colocar coleiras com plaquinha de identificação. Caso ele fuja, pode ser encontrado mais facilmente.
  • Oferecer atenção e carinho para mantê-lo calmo.
  • Evite deixar o animal sozinho durante a queima de fogos e sempre consulte o veterinário para que este profissional esclareça e oriente sobre outras medidas para tornar o período menos traumático. 
  • Enrole um chumaço do algodão de um tamanho considerável e coloque dentro do ouvido do pet. Cuidado para não enfiar muito fundo e machucá-lo. Ponha numa profundidade que o algodão fique firme e não caia. 
  • Mantenha as janelas e cortinas fechadas para que abafe um pouco dos sons dos fogos de artifício. Assim que passar o barulho pode abrir novamente. 
  • Se houver mais de um cachorro na casa é bom separá-los. Situações de estresse favorecem brigas e eventuais ferimentos.
  • Jamais deixe-o amarrado. Na hora do medo pode se enforcar tentando se soltar.
Mais notícias