Publicidade

Inauguração da “Maria Fumaça” terá show de Almir Sater e Geraldo Espíndola

Restauração faz parte de projeto que buscar trazer o público de volta para a região

O Momento da Maria Fumaça será inaugurado na próxima terça-feira (23) e dará início à 1ª etapa da Requalificação da Orla Ferroviária, no cruzamento das avenidas Calógeras e Mato Grosso. O evento contará com shows de Geraldo Espíndola e Almir Sater a partir das 19 horas.

A inauguração é resultado da parceria entre a Prefeitura de Campo Grande, por meio da Agência Municipal de Meio Ambiente e Planejamento Urbano (Planurb) e da Secretaria Municipal de Cultura e Turismo (Sectur), com a Plaenge, Engepar e Fort Atacadista.

Programada para ter sido inaugurada no feriado de 11 de outubro, data em que é comemorada a divisão do Estado, e neste ano, o centenário da elevação de Campo Grande a categoria de cidade, o evento precisou ser adiado devido às fortes chuvas que caíram naquela semana.

Para a entrega, haverá show de Geraldo Espíndola que vai apresentar uma música inédita feita especialmente para a ocasião. Ele cantará a música junto com a orquestra sinfônica de Campo Grande e crianças da Aldeia Indígena, que são assistidas pela Fundação Ueze Zahran. O show finaliza na voz marcante de Almir Sáter, um dos artistas mais expoentes no cenário nacional.

A Maria Fumaça tem 5 metros de altura, 20 de comprimento e cerca de 20 toneladas. O monumento ficará suspenso em um balanço que dará a impressão que ele levantará vôo. Também haverá um totem com QRCode com um texto informativo da Maria Fumaça, produzido pelo prof. Paulo Cabral, do Instituto Histórico e Geográfico de Mato Grosso do Sul.

“A Maria Fumaça vai ficar em balanço, então vai parecer que ela está pegando voo, trazendo essa história consigo”, explica a diretora-presidente Berenice Jacob.

Segundo a Prefeitura Municipal, no projeto completo, a Orla Ferroviária passará por uma requalificação geral que mudará completamente sua estrutura. O espaço vai receber bicicletários, totens com QRCode, wifi livre, equipamentos esportivos e intergeracinais, playground e habitações de interesse social.

O projeto da Orla Ferroviária vai da Avenida Mato Grosso até a Afonso Pena, e também da Avenida Calógeras, entre as ruas 7 de Setembro e Antônia Maria Coelho. A ideia é que o projeto mude completamente o local, trazendo mais segurança, de modo que as pessoas passem a ocupá-lo definitivamente.

Mais notícias