Publicidade

Alternando estilos, arquitetura de barbearia passeia entre o retrô e o moderno

Um passeio ao passado resgata a imagem daquelas barbearias onde as cadeiras para os clientes e o painel e bancada dos barbeiros estão posicionados logo na entrada, onde é possível ver bem os trabalhos até mesmo por quem passa do lado de fora.

Aos 26 anos, o proprietário da barbearia Renan Tertulina diz que queria algo moderno, com um visual clean, mas que também trouxesse à lembrança o cenário das barbearias de antigamente.

“Hoje em dia, tudo está muito rústico e eu queria uma arquitetura diferente, que oferecesse conforto e a sensação de estar em casa. Queria um ambiente clássico, com aspecto da barbearia mesmo, aquelas antigas, mas que trouxesse um conceito moderno”, explica Renan.

Conforme explica o arquiteto Daniel Reina, idealizador do projeto, o desafio estava em encontrar o equilíbrio entre os conceitos das barbearias clássicas com um estilo moderno. “Usei o piso xadrez para marcar a área onde os barbeiros trabalham e na parede de fundo um espelho do chão ao teto para dar mais amplitude no espaço. Uma lona que tem uma textura de assoalho de madeira e nas paredes uma textura de cimento queimado/marmorizado”, conta Daniel.

Mas Renan queria, acima de tudo, um lugar para descontração e confraternização, assim como também eram as barbearias de antigamente, lugares onde os homens se reuniam para conversar sobre diversos assuntos, de política a futebol.

“A ideia é se sentir em casa, ter uma distração além de só cortar barba e cabelo. É o momento de desligar, de relaxar, assim como para a mulher quando também vai ao salão, mas cada um do seu jeito”, diz Renan.

Em cima deste propósito, o arquiteto aplicou a tecnologia dentro deste cenário nostálgico. “Colocamos um freezer com cerveja e uma TV com vídeo-game para o cliente jogar enquanto aguarda ser atendido. E lógico, algumas amenidades como um filtro para água, uma cafeteira e um sofá confortável. E para o bom trabalho dos barbeiros, uma bancada única de 3,80 metros com seis gavetas, sendo duas para cada, em uma área muito bem iluminada”, explica Daniel.


Daniel ainda fala sobre o painel de fundo do balcão de atendimento. “Temos não só a TV, mas também nichos e prateleiras iluminadas onde são expostos os produtos à venda como pomadas e sprays para cuidado do cabelo e barba”.

No interior da barbearia, Daniel explica o trabalho feito na marcenaria, na qual usou apenas duas cores/texturas. “O Louro Freijó que traz essa textura de madeira quase avermelhada com nós bem marcantes, e o Grafito, que é um cinza mais escuro. Na fachada, seguimos bem as cores da logomarca, painel ACM Cinza escuro e um tom de amarelo que projeta a barbearia entre os comércios laterais, e lógico, o detalhe clássico do “Barber Pole” que é luminoso e chama bastante atenção”, comenta o arquiteto.