MidiaMAIS

Sem conseguir emprego na área, nutricionista vende pães na rua para realizar sonho

Tudo tem um começo: esse é o projeto de um sonho puxando os outros

João Ramos Publicado em 08/04/2021, às 13h19

Trabalhador vende pães com plaquinha falando de sonho
Trabalhador vende pães com plaquinha falando de sonho - (Arquivo Pessoal)

Aos 29 anos, o nutricionista Paulo José Dias Bodim saiu de Bariri, em São Paulo, e foi para Três Lagoas à procura de emprego na área da nutrição. Ele concluiu a graduação no final de 2020 e não conseguiu nenhuma oportunidade no ramo.

Por estar desempregado e precisando pagar as contas, o nutricionista decidiu trabalhar como servente de pedreiro junto com o cunhado. Certo dia, uma mulher foi ver a obra e em conversa com o trabalhador, veio um estalo.

Sinal de Deus?

"Ela falou que ia fazer um concurso de psicologia, que era psicóloga formada mas estava fazendo pães pra vender. Eu falei também que era nutricionista e que não tinha conseguido emprego na área. Então ela disse "porque não faz uns pães pra vender?", porque era disso que ela estava sobrevivendo", contou Paulo em entrevista ao Jornal Midiamax.

O trabalhador gostou da recomendação e decidiu colocar a ideia em prática. Usando uma receita que a esposa já fazia em casa, eles agora estão aperfeiçoando o preparo. "Deu certo, o pessoal tá gostando, elogiando muito. A primeira vez fiz dez pães, saí pra vender e vi que saiu muito rápido. No momento a gente pensa em continuar com os pães e mais pra frente fazer uma casa de bolos e pães caseiros artesanais", revelou ao MidiaMAIS.

Produção começou com 10 pães, depois passou para 12. Posteriormente 20, e hoje eles trabalham com 30 pães por dia.

Ele e a esposa usam dois fornos de fogão convencionais, nenhum equipamento industrial, então a produção não é muito rápida. Além disso, Paulo faz suas vendas carregando uma placa escrito "Quero montar minha padaria, tudo tem um começo", o que motiva a população da cidade a comprar com o nutricionista.

"Resolvi ativar meu modo empreendedor de correr atrás e não ficar esperando as coisas aconteceram. Resolvi fazer acontecer. Hoje tá dando certo. Do jeito que a gente começou, a gente já cresceu bastante. A tendência é crescer mais", concluiu estusiasmado com o sucesso.

No começo dá vergonha

"As vendas você tem que acostumar, no começo dá um pouco de vergonha. Mas esse é o projeto de um sonho, um sonho puxando os outros, de ter uma casa de bolos artesanal, e o que Deus quiser", disse o nutricionista.

Se alguém tiver interesse e quiser contibuir com Paulo, o telefone para contato é (14) 98119-9563.

Jornal Midiamax