Tradicional point de Campo Grande, Valley encerra as atividades

Sérgio Longo Filho disse que empresa não resistiu aos impactos negativos da pandemia

Os campo-grandenses foram pegos de surpresa, nesta segunda-feira (3), com a notícia de que a tradicional boate sertaneja Valley CG vai encerrar as atividades. A decisão foi tomada devido aos impactos negativos que o empreendimento sofreu durante a pandemia.

O sócio-proprietário do local, Sérgio Longo Filho, explicou que a boate ficou cinco meses com as portas fechadas e que, por isso, precisou fechar de vez o local. O empresário garante que a decisão é definitiva e não há, por ora, intenção em retomar as atividades.

A casa de shows aqueceu a vida noturna da Capital durante 12 anos. Referência em música sertaneja, a Valley serviu de palco para artistas nacionais e engradeceu eventos com sua temática luxuosa e ímpar. Em junho deste ano, o tradicional bar chegou a noticiar que iria reabrir e gerou debate nas redes sociais.

Vale lembrar que a casa de shows foi cenário de um dos momentos mais histéricos de Campo Grande durante a pandemia, em março, logo após uma jovem recém-infectada no Rio de Janeiro ir a um evento no local. Ela foi um dos primeiros casos confirmados da  em Campo Grande, ainda naquele mês, e foi a uma festa na casa de shows.

Quando se espalhou a notícia de que o namorado deste jovem estava infectado, frequentadores do bar surtaram nas redes sociais ao fazerem a relação de que a jovem – provavelmente infectada – esteve no lugar numa noite de quinta-feira. Na ocasião, a empresa destacou que a jovem não tinha diagnóstico confirmado (o que ocorreu dias depois) e repudiou disseminação de .

Tradicional point de Campo Grande, Valley encerra as atividades
Mais notícias