Mesmo com atraso, famílias não desanimam à espera do desfile das escolas de samba

Clima de ansiedade é visto no semblante dos organizadores e comissões

Nem mesmo o atraso de mais de uma hora desanimou os foliões que estão presentes nas arquibancadas do sambódromo que foi montado na Praça do Papa para o desfile das escolas de samba de Campo Grande. Diferentemente do cenário que se viu na Esplanada Ferroviária, a torcida é composta por famílias e crianças com fantasias.

A dona Teresinha Magalhães, de 78 anos está acompanhada de sua filha, Carla Magalhães de 58 anos e preferiram trazer um banquinho para assistir ao desfile. Com um lugar bastante peculiar, Carla explicou que a mãe possui um problema no joelho que dificultaria ela subir os degraus da arquibancada, mas que o importante é presenciar a festa.

“A pessoa prepara o ano todo o desfile e é importante acompanhar. O importante é ver o show”, disse Teresinha, que chegou às 19h e que só pretender ir embora, quando o desfile terminar.

Mesmo com atraso, famílias não desanimam à espera do desfile das escolas de samba
Helena no seu primeiro ano de idade, foi acompanhar o carnaval. (Foto: Leonardo de França, Midiamax)

Uma família bem animada é a da Ana Paula e sua filha Helena de um ano de idade, que veio vestida de abelha para curtir o desfile. Alguns parentes que são naturais de Corumbá, mas moram em Campo Grande há 10 anos, também prestigiam o evento.

Ana Paula disse à reportagem que é uma tradição da família levar os pequenos no primeiro ano para acompanhar o desfile e que também, é preciso estar bem trajada para curtir o carnaval.

Atraso e ansiedade a flor da pele

O desfile das escolas de samba estava previsto para começar às 19h, mas o atraso de mais de uma hora aumentou a ansiedade dos carnavalescos. O atraso também serve para ajustar os últimos detalhes e garantir que tudo saia com perfeição na avenida.

O presidente da Vila Carvalho, Zé Carlos disse que pretende fazer de tudo para garantir o bicampeonato da competição e que os preparativos estão a mil. O presidente colocou a mão na massa e ajudou os organizadores a levar as fantasias até o pessoal que iria desfilar.

Arnaldo Gauna, de 65 anos vai desfilar pela quinta vez em sua vida e estará representando a velha guarda da Vila Carvalho. A ala em questão estará trajando roupas afros e que nem mesmo o atraso, segundo Arnaldo “desanima os foliões”.

Mesmo com atraso, famílias não desanimam à espera do desfile das escolas de samba
Camila, musa da Igrejinha. (Foto: Leonardo de França, Midiamax)

Quem está ansiosa é Camila Sampaio, musa da Igrejinha e que por dois anos, desfilou como passista e agora em seu primeiro, terá a responsabilidade de representar a escola de samba. “A expectativa está muito grande, o cargo é de muita responsabilidade”.

A Deixa Falar entrará como terceira escola no desfile e Marta de Oliveira, na concentração está reunida com um grupo de 20 pessoas entre amigos e familiares, mas nunca desfilou e nesse ano decidiu reunir a galera para sair na avenida.

Mesmo com atraso, famílias não desanimam à espera do desfile das escolas de samba
Mais notícias