Dicas de como interagir (e cuidar) dos idosos que teimam em sair às ruas

Pessoas do grupo de risco precisam de rotina reforçada

Na última quinta-feira (19), o Jornal Midiamax constatou presença significativa de idosos nas ruas de Campo Grande. Mesmo fazendo parte do grupo de risco, alguns vovôs ainda têm desafiado as recomendações de autoquarentena e seguem batendo perna pelas calçadas, conversando com vizinhos e até fazendo churrasco com aglomeração de pessoas.

Muito se fala em opções para deixar as crianças ocupadas, já que estão sem escola e não podem nem sair para brincar na rua. Com aqueles que tem mais de 60 anos, a rotina precisa ainda de mais reforço para que se mantenham ativos e saudáveis. A enfermeira chefe do Grupo DG Sênior, Marcella dos Santos, listou algumas dicas de como manter os idosos saudáveis e em movimento tanto mentalmente quanto fisicamente durante o isolamento.

Mas o que fazer para as pessoas da “melhor idade” não se sintam só em casa?

Exercícios físicos

Manter a atividade física, por meio de alguns exercícios simples que podem ser feitos em casa. Alongamentos e pequenos pesos caseiros como sacos de feijão, por exemplo, ajudam a manter a rotina.

Contação de histórias

Para idosos também é interessante o estímulo à leitura. Pode ler um livro em conjunto e ir interagindo sobre a leitura. Também pode ser interessante usar álbuns de fotografias para estimular a partilha de memórias. Este momento pode ser muito rico para a família toda. Pode incluir também integrantes que estão em suas casas, por vídeochamada. É um lindo momento para os avós contarem histórias para a geração mais nova.

“Outra sugestão é a de escrever, em conjunto, a biografia do idoso, contando sua própria história. Isso estimula a memória também, além de ser um registro lindo para se guardar”, explica Santos.

Ajudar na cozinha

Para aqueles que ainda têm independência para cozinhar ou ajudar na cozinha, essa pode ser uma atividade muito interessante. Fazer bolos e tortas com receitas antigas da época do idoso, resgatar as receitas de família e até fazer um caderno organizando essas preciosidades para passar adiante. “É importante sempre tomar cuidado com objetos cortantes e com o fogo para aqueles com a motricidade reduzida, mas a atividade não deixa de ser interessante para eles também”, alerta a enfermeira chefe.

Jogar um dos seus jogos favoritos

Geralmente jogos como o dominó, cartas e tabuleiro fazem sucesso. Palavras cruzadas também são sempre bem aceitas. A dica é fazer desafios, placares para que seja estimulante jogar.

Estimular a criatividade

A pintura é uma atividade usada muitas vezes para ajudar a relaxar. Podem ser livros de pintura ou em telas, dependendo a cognição do idoso. Criar um álbum ou uma caixa de memórias, onde são colocados vários objetos ou fotos que tenham um significado especial para a pessoa e que possa ser acessado facilmente, também é uma ideia que pode estimular a busca por esses objetos.

Música e dança

Ouvir músicas que remetem às memórias pessoais. Pode convidá-los a dançar, caso seja possível. Essa prática é interessante tanto para uma atividade cognitiva quanto física. Conversar sobre a música, ver vídeos do artista preferido. Com a internet, é possível trazer memórias da época dos shows e do rádio.

Filmes

Outra atividade interessante é propor uma sessão de cinema. Depois de fazer aquele bolo ou torta, tomar o lanche da tarde assistindo um bom filme pode render bons momentos. Ainda é possível aproveitar para comentar. Os clássicos mais antigos trazem vestimentas, músicas e artistas que podem ser tema da conversa.

Jardinagem

Caso tenha jardim em casa, pode pedir para o idoso aguar as plantas. Se morar em apartamento, deixe alguns vasos para que eles consigam cuidar. Toda atividade que envolva cuidar das plantas, montar uma mini horta, pode ser muito benéfico.

Conversar

O diálogo é muito importante. Procure sempre conversar com o idoso, explicar o que está a acontecendo e escutar suas angústias. Pode ser útil pegar um artigo de jornal ou revista e discuti-lo. Lembre-se de mudar o foco de assuntos negativos.

Religião/espiritualidade

É essencial manter o máximo dos rituais religiosos a que estão acostumados. Existem canais de TV específicos e podemos oferecer para que acompanhem as missas, orações e cultos. Alguns líderes religiosos adotaram transmissões on-line.

“A tecnologia pode ser uma grande aliada nessa fase, mas alguns não aceitam muito bem, então o conselho é que seu uso seja sempre supervisionado. Promova encontros virtuais com outros familiares para diminuir o isolamento social. Também existem aplicativos para treinamento do cérebro direcionado para idosos. O importante é mantê-los em movimento”, finaliza a especialista.

Mais notícias