Devoção a São Miguel completa 150 anos e família mantêm tradição, mesmo on-line

A devoção a São Miguel Arcanjo começou a partir de um milagre ocorrido em meio à Guerra do Paraguai, em 1870, e permanece até hoje. 

Essa história começa há um século e meio atrás, no fim da Guerra do , em 1870, quando um milagre foi concedido a então Sargenta do Exército o, Francisca Martinez. Sobrevivente da guerra, retratada como genocídio, Francisca sobreviveu aos campos de batalha e com toda sua , deu início à devoção a São Miguel, com a realização da Novena, uma tradição que dura até hoje. 

“A devoção a São Miguel na família começou com Minha bisavó, Francisca Martinez Canavessi.  Ela serviu na Guerra de Solano Lopez. Foi enfermeira e participou até as últimas batalhas. Voltou dos campos de batalha, andando, em meio aos corpos e a partir de então começou com a devoção em São Miguel”, conta Ramona Lugo Samudio, de 84 anos. 

A manutenção da devoção foi passando de geração em geração, sob as mãos das mulheres e matriarcas das família: Da bisavó Francisca Martinez Canavessi, a tradição passou para a avó Agostina Canavessi, posteriormente à mãe de Ramona, Maria Candelária Valejo de Lugo. Todas mantendo sua forma de expressar a devoção realizando a novena em honra ao santo e a missa em ação de graças. 

Devoção a São Miguel completa 150 anos e família mantêm tradição, mesmo on-line
Novena foi transmitida toda virtualmente (foto: Leandro Marques)

Em 1939, a família veio a se estabelecer no Brasil. Com residência em Campo Grande a tradição se manteve, ininterrupta sendo que desde o falecimento de sua mãe, em 1992, Ramona segue à frente da Novena.
 
Casada com Francisco Samudio (falecido em 2019), Ramona teve 5 filhos e junto aos seus irmãos e amigos transformaram a tradição de família em uma reunião de devotos que passou a integrar mais famílias e sobrenomes, sendo um reduto de manutenção de e tradições paraguaias. À familia Vallejos Lugo somaram à família Samudio, Cáceres, Marin, Martins, entre outras que mantiveram a tradição.

 

Devoção a São Miguel completa 150 anos e família mantêm tradição, mesmo on-line
Dona Ramona e a imagem que foi de sua bisavó, Francisca Martinez (foto: Leandro Marques)

O cumprimento da tradição se inicia todo dia 21 de setembro, estendendo-se por nove dias até o dia 29 de 
Setembro, data de comemoração aos Arcanjos Miguel, Gabriel e Rafael, onde sempre é realizada uma Missa em e Honra a São Miguel Arcanjo.  
Devoção a São Miguel completa 150 anos e família mantêm tradição, mesmo on-line
Registro de 2017, quando a família se reunia na casa de dona Ramona (foto: Leandro Marques)

Em 2020, com o cenário de pandemia, distanciamento, protocolos de biossegurança, a tradição conseguiu superar essas situações e vem sendo realizada, desde o dia 21 de setembro, por meio de vídeo chamada, possibilitando aos devotos de Campo Grande e até de outras cidades a participação. 

“Achei muito bom porque cada pessoa consegue assistir de longe. Fica a recordação linda de quando a gente se reunia, deixou muita saudade. Foi uma coisa que, acredito que seja providencia de Deus e pra mim valeu mais porque a gente pode ver o quanto é grande nossa ”, diz dona “Morocha”. 

Francisco Cáceres, sacerdote e sobrinho de D. Ramona, é o religioso responsável pela celebração anual das Missas, a mais de 30 anos, e mesmo diante do cenário de distanciamento, celebrará a Missa às 19h00 do dia 29 de setembro, em transmissão ao vivo pela página do Facebook da Paróquia Imaculada Conceição em Aquidauana.   

A Novena chega ao seu último dia hoje, com transmissão por vídeo chamada em no perfil do Facebook  de  Vinícius Samudio, podendo ser acessada pelos devotos e todos os familiares. 

Devoção a São Miguel completa 150 anos e família mantêm tradição, mesmo on-line
Mais notícias