Denúncias sobre atuação do Conselho Tutelar em aldeias de MS ganha destaque na Europa

Produção feita na Reserva Indígena Federal de Dourados reúne relatos de mães Guarani Kaiowa

Documentário que conta a história de quatro mães cujos filhos foram retirados das aldeias de Dourados, maior cidade no interior sul-mato-grossense, virou assunto nas redes sociais da Europa. O jornal Lemond Diplomatique Brasil destacou o vídeo, produzido na Reserva Indígena Federal de Mato Grosso do Sul.

“Negligência de quem” foi feito a partir de denúncia na ONU (Organização da Nações Unidas) de que crianças Guarani Kaiowa estavam sendo retiradas arbitrariamente das famílias nas aldeias de MS. A narrativa tem o relato de quatro mães indígenas surpreendidas pela ação do Conselho Tutelar de Dourados.

Segundo o Conselho, a medida foi tomada em virtude do abandono por parte da mãe,  que só ficou da situação,  depois que os filhos tinha sido recolhidos. “Fiquei desesperada  e não sabia para quem ia reclamar por causa que são autoridades. Ele tiveram essa força de tirar as crianças de mim e mandar para um lugar onde u não sabia”, relatou uma delas.

Uma outra mãe também conta que estava em trabalho de parto, internada em um hospital da cidade e quando chegou em casa foi saber que seus filhos também foram recolhidos pelo Conselho.  “Nunca tinha acontecido isso comigo”, relata a indígena que ficou cinco dias conseguir comer nada por causa da saudade das crianças.

De acordo o jornal francês, o documentário mostra os choques culturais envolvidos na retirada de crianças indígenas das aldeias de Dourados, muitas vezes sob a justificativa de “negligência”. “O filme retrata e discute os efeitos devastadores desse processo nas vidas de quatro mães indígenas cujos filhos foram levados a abrigos urbanos”, diz a publicação  sobre a produção que de 39 minutos e 27 segundos, que é dirigida por Joana Moncau.

Denúncias sobre atuação do Conselho Tutelar em aldeias de MS ganha destaque na Europa
Mais notícias