Da ideia à festa de casamento: Karen e Fernando realizaram sonho em tempo recorde

Quem planeja um festão de casamento completo em apenas dez dias?! Parece loucura, mas tenho um casal pra te apresentar...

Ah o amor… O mundo é mais colorido quando nos deixamos levar por este nobre sentimento, as músicas românticas fazem sentido e a vida se torna mais leve com alguém somando e compartilhando momentos. O n bate em paz, os sonhos se tornam mais lúcidos, a felicidade faz morada. Deus me livre, mas quem me dera ❤.

Amar também pode fazer a gente cometer algumas loucuras, tipo planejar um casamento relâmpago, em cerca de 10 dias, com direito a uma grande festa, jantar, véu, grinalda, traje do noivo, pajem, padrinhos, decoração, buffet, fotógrafos, cerimonial, salão, DJ, orquestra… ufa, só de imaginar já levei dois dias!

O casal Karen Duran e Fernando Bottaro são essas pessoas que não medem os riscos para realizarem seus sonhos. No último sábado, 8, os dois promoveram uma grande festa para celebrar o enlace, fruto de uma relação de mais de oito anos, que gerou o pequeno Benjamin, de 3 anos. Como todo casal, eles já passaram por idas e vindas, mas curiosamente, as vindas sempre aconteceram no dia 7 de fevereiro, data do aniversário do pai de Karen, onde Fernando cmparecia e o coração dos pombinhos amolecia. Por conta disso, o casal resolveu se casar no civil exatamente nesta data, pois marcou a história dos dois.

“A princípio, pensamos em fazer uma comemoração, isso lá em novembro, dezembro. Mas daí concluímos que tinha muito pouco tempo, então resolvemos largar mão, ‘não vamos fazer festa’. Aí a data foi chegando, no dia 20 de janeiro a gente tirou os papéis (já atrasados, porque a gente nem se tocou que tinha pouco tempo). Falamos pra moça do cartório, ‘pelo amor de deus, essa data é muito importante pra gente’, temos que casar dia 7 de fevereiro no civil! Deu certo”, conta Karen.

Além de tudo, eles são bem humorados! (foto: Leandro Marques)


Para a data não passar em branco

O casal decidiu que fariam uma comemoração de leve. Iriam chamar os amigos mais próximos, alguns familiares e só. “Aí nisso, pensamos em fazer um churrasco, mas churrasco não é nossa cara. Imaginamos que viraria uma cervejada e não era esse o intuito, a gente queria que fosse algo mais singelo, era um casamento, poxa, então decidimos fazer um jantar”, conta Karen.

Na organização do jantar, novas ideias começaram a brotar. Uma amiga sugeriu fazer um menu especial, preparar umas lembrancinhas, uma decoraçãozinha… (Vai vendo!) Sugestões aceitas, no domingo, 26 de janeiro, já veio a ideia de um violinista, mas ainda faltava o lugar da celebração. “Falei assim, vamos fazer no salão de festas do meu apartamento, só que durante a semana só poderíamos fazer o jantar até as 22h e, no final de semana, até a meia noite, ‘não vai rolar’, vai estar todo mundo feliz, ninguém vai querer sair de lá meia noite. Sugeri que a gente fizesse na casa da minha mãe, que tem um bom espaço, mas que estava precisando de um monte de reparo, pintura, passar massa corrida… daria o maior trabalhão, mas decidimos começar”, revela a noiva.

No dia seguinte, Karen começou a listar as coisas que precisariam. Nessa já “apareceu” a ideia de chamar um DJ e a coisa foi evoluindo. Daí já pensaram num buffet e, de repente, de 60 convidados passaria a 85 e não parou por aí. “Minhas amigas riem até hoje, porque elas falaram ‘Karen, você falou pra mim que era um churrasco’, uma delas sabia que vou evoluindo sempre nas festas. Daí, na terça-feira mandamos o convite (via WhatsApp) que seria uma festa de casamento”, PAH!

Era pra ser um churras… (foto: Cristhian Freitas)

Tá tranquilo, tá favorável

Um “anjo da guarda” seria o responsável por facilitar o processo dos noivos. O violinista Rafael Fontenele, noivo de uma das amigas do casal, se casará em maio deste ano e compartilhou com os amigos seus fornecedores: o buffet, o cerimonial, a orquestra e as dicas de docinhos. O músico, além de tocar no casório, também foi padrinho. “Foi uma novidade muito grande, ser violinista e padrinho. Mas como tinha dois colegas me acompanhando, eles seguraram as pontas. Pra mim foi muito emocionante, foi a primeira vez que fui padrinho de casamento. Quando dois jovens se amam e apostam no casamento (que não é fácil), com amor tudo é possível”, enfatiza.

O noivo, Fernando Bottaro, participou de todas as etapas do processo. Companheiro dos bons, ele apoiou cada ideia da amada. “Nós somos muito parceiros e merecíamos algo assim. No começo, depois que desistimos cancelar o jantar, sugeri para que casássemos daqui um ano. Só que aí pensamos que não seria o mesmo sentimento, então decidimos fazer esse casamento logo”, revela.

Por mais que o tempo fosse escasso, as situações foram muito favoráveis ao enlace. Mesmo com o curto prazo, os fornecedores foram super amigáveis e ajudaram muito. Segundo os noivos, eles facilitaram desde a forma de pagamento aos valores cobrados.  “Investimos a mesma coisa que um casal gastaria se planejasse o casamento pra daqui a um ano. Uma parte foi à vista, outra no cartão de crédito e foi indo…”, conta Karen.

O padrinho e violinista Rafael Fontenele testemunhou o amor do casal (foto: Leandro Marques)


O que motivou toda essa “pressa”

Em agosto do ano passado, Karen passou por um imprevisto que poderia ter lhe custado a vida. Na Av. Marquês de Pombal, enquanto voltava pra casa, uma motorista invadiu a preferencial e acabou colidindo com seu carro, que capotou e os bombeiros tiveram que até cortar o teto do automóvel para resgatá-la. O fatídico acidente foi até noticiado aqui no Midiamax, mas felizmente, ela está super recuperada do susto.

Karen é médica e trabalha no SAMU. Por coincidência, quem a socorreu foi sua melhor amiga, quem também foi madrinha do casamento. À época, o casal estava terminado, mas quando ela voltou pra casa, Fernando já estava lá a sua espera. Por conta do ocorrido, Karen teve um insight: “Percebi que a vida é assim (estala os dedos) e eu tenho que ficar com o amor da minha vida”.

Todo esse amor é retribuído por Fernando. “É algo de Deus, como se Ele tivesse escrito. Desde o primeiro momento que a vi, a primeira vez que abracei ela, senti uma coisa diferente. Meio que no fundo eu sabia que ele era o grande amor da minha vida”, diz ele. “Eu também”, diz ela (com os olhos cheios de lágrimas).

Quando o amor é real, ele transborda. As dificuldades são superadas e tudo de melhor pode acontecer. Só pra você entender melhor, a ordem dos acontecimentos foi essa:

26/01 – Casal resolveu fazer o jantar  de união civil no dia 07.02
02/02 – As amigas fizeram chá de lingerie
08/02 – Casaram

Agora, os pombinhos vão curtir uma deliciosa lua de mel na Europa (passagem adquirida um ano atrás) e aproveitarão tudo de bom que a vida tem a oferecer. Desejamos muitas felicidades aos pombinhos, já estamos ansiosos por saber qual será a próxima que eles vão aprontar! Hahaha…

VIVA O AMOR!

Mais notícias