‘Covida-MS’ cria rede de voluntários para reduzir impactos do coronavírus

Ferramenta vai conectar pessoas com grupo de risco

Em meio a pandemia do coronavírus, alguns voluntários aparecem para fazer o bem. Dentre algumas ações, como a vaquinha online que o Jornal Midiamax publicou nesta segunda-feira (23), surgiu o “CovidaMS”. Com o objetivo de barrar a disseminação do coronavírus em Mato Grosso do Sul, foi criado o movimento colaborativo a fim de cadastrar pessoas dispostas a ajudarem o próximo. O link oficial para cadastro vai captar voluntários para formar uma rede de colaboração, que serão mapeados por regiões com foco em condomínios e residenciais.

Unidos, os cadastrados dão suporte no dia a dia dos vizinhos que fazem parte do grupo de risco. “Com generosidade e empatia, acreditamos que esta iniciativa pode reduzir os impactos na disseminação do Covid-19, reduzindo o fluxo de pessoas em estabelecimentos comerciais”, diz Juliana Vieira, uma das idealizadoras do projeto.

Para fazer parte da rede de apoio é muito simples, o internauta deve entrar no link de cadastro do CovidaMS e cadastrar seu nome, CPF, idade, cidade e telefone. Com base nos registros, os criadores do movimento vão usar a ferramenta para associar pessoas do grupo de risco a voluntários. Os voluntários irão realizar ações solidárias como ir ao mercado, farmácia e até mesmo cuidados em caso de emergência. Ao invés de bilhetes, como muitos moradores de residenciais estão fazendo, a intenção é criar um canal direto onde pessoas possam se comunicar com o grupo de risco.

A zootecnista Juliana é a criadora de uma startup que tem o conceito de conectar profissionais do setor equestre. Pensando no atual problema do país e na dificuldade que as pessoas podem enfrentar em tornar a solidariedade eficiente e ágil, ela pensou em criar um canal que reduzisse esse caminho. A jovem pegou o gancho que já atua, conversou com o amigo e parceiro de negócios Fredd Diniz e, juntos, aprimoraram a ideia no último sábado (28). Um dia depois, o formulário de cadastro e as redes sociais já estavam no ar.

“Estamos buscando uma parceria com desenvolvedores e programadores para aprimorar o site e quem sabe um aplicativo, tudo muito simples para acelerar o processo de conexões”, garante Juliana.

Para conhecer mais a acerca do projeto e se conectar a esta rede solidária é muito simples: basta acessar as redes sociais do @covidams (Instagram e Facebook) ou através do link direto do formulário de voluntários através do link oficial.