Apaixonada pela cor, Adri faz sucesso com cozinha toda rosa

Seguidores chegam a perguntar se eletrodomésticos são de verdade

Há quem diga que o rosa é sinônimo de infantilidade e só deve ser usada em crianças. Predominante na casa de Adriele Aparecida Bocalan, de 35 anos, a cor gerou empatia e conquistou milhares de seguidores na conta pessoal da psicóloga, que as vezes até duvidam que os utensílios do lar sejam “de verdade”.

A moradora de Alcinópolis lembra de simpatizar com o rosa ainda na infância, em Costa Rica. Quando começou a montar a casa dos sonhos, em meados de 2017, Adriele escolheu a dedo os eletrodomésticos e acessórios que iriam compor a decoração do seu lar.

Foi de forma despretensiosa que a psicóloga compartilhou no Instagram (@casinha_da_dri) o dia a dia e detalhes da organização da casa. Aos poucos, os números foram triplicando e, quando percebeu, Adriele já tinha ultrapassado a casa dos 150 mil seguidores na rede social. Para se ter uma ideia, a pequena cidade onde ela mora tem cerca de 5 mil habitantes.

Adri sabe que ainda existe o preconceito e quem torça o nariz para os amantes da cor “na vida adulta”, mas deixa claro que isso é uma besteira. “Para mim significa amor, ternura e feminilidade.”

É a cozinha de Barbie que mais chama a atenção na web. Quando a psicológa compartilha algum detalhe do cômodo, chovem comentários perguntando se tudo funciona de verdade. Ela revela que tudo começou quando buscou por alguns utensílios e achou uma batedeira, edição limitada de uma marca famosa.

“Acabei não conseguindo comprar. Depois uma amiga minha passou por alguns problemas e precisou vender uma batedeira da mesma cor. Eu fui e comprei.”

Um dos maiores empecilhos, segundo ela, é achar produtos diferenciados no tom pastel – o seu preferido. Grande parte dos seus eletrodomésticos são importados dos Estados Unidos, incluindo um liquidificador com copo de vidro batizado como o xodó da casa.

Microondas, louças e até armários compõem o visual rosa da cozinha da digital influencer. A identificação das internautas com a decoração da casinha da Adri fortaleceu o laço da psicóloga com as seguidoras. Ela percebeu que ajudava, de fato, outras pessoas quando recebeu o depoimento de uma mulher com câncer.

“Uma jovem me disse que ver minhas fotos ajudava ela na cura com o câncer. Eu fui percebendo que as pessoas gostam do meu conteúdo e isso faz eu receber muitos relatos.”

A intenção do perfil nunca foi, segundo ela, mostrar uma vida fútil. Ao contrário, a psicóloga garantem que a “casinha da Adri” mostra que as mulheres podem conquistar e ser o que quiserem. “Podem ser mulher, dona de casa, empreendedoras ou qualquer coisa, desde que seja cada coisa em seu tempo.”