Aliar internet com os livros é a melhor saída para manter hábito da leitura na quarentena

Crianças que gostam da web podem virar novos leitores

Nesta semana foi comemorado o Dia Mundial do Livro. Com o avanço da internet, muitas pessoas trocaram as livrarias pelas estantes virtuais e, em época de pandemia, a leitura se tornou uma forte aliada para ocupar o tempo sem abrir mão do conhecimento.

Na maior parte do tempo em casa, por conta do isolamento social, os internautas acabam usando os smartphones como escudos para driblar o ócio. De acordo com a professora do curso de Pedagogia e mestre em Educação do Centro Universitário Anhanguera de Campo Grande, Erika Costaaliar o uso da internet com os livros é a melhor saída para manter o hábito da leitura vivo.

Ainda que jogos virtuais, memes e redes sociais apareçam como fortes tentações, o usuário deve dividir o tempo para não deixar a prática de lado. E-books e plataformas como kindle e tablet são as melhores opções para quem gosta de se manter conectado.

Segundo aponta a edição mais recente da pesquisa Retratos da Leitura no Brasil, 26% das pessoas que já ouviram falar em livros digitais leram conteúdos nesse formato. O encantamento das crianças com os equipamentos tecnológicos também pode ser um parceiro na hora de incentivar os pequenos.

Para a professora, a internet não deve ser vista como vilã e sim como uma aliada no incentivo à leitura. “Quando usada de forma adequada, respeitando as indicações de tempo para cada idade, a internet é uma grande colaboradora para o crescimento do consumo de livros, oferecendo novos formatos e possibilidades.”

Aliar internet com os livros é a melhor saída para manter hábito da leitura na quarentena

Erika ainda explica que, por meio do ambiente online, existe um acesso a um acervo muito maior de obras, inclusive gratuitas. Nesse caso, a internet não anula o livro, eles caminham juntos. “De forma rápida e natural, a tecnologia está despertando o interesse e formando novos leitores”, afirma.

Outro ponto importante é que a leitura pode ser o portal para conhecer outros mundos, o que inclui também novas culturas e pontos de vistas diferentes. O ato de ler ajuda no aprendizado e até na formação pessoal, intelectual e socioemocional dos indivíduos.

“O aprendizado que alcançamos com a leitura, somado ao que adquirimos na escola, por exemplo, fomenta a criação de novas perspectivas. A leitura pode ser vista como um ato de criação, já que desenvolve competências fundamentais, como a escrita, a interpretação, a criatividade, raciocínio crítico e a empatia”, complementa a pedagoga.

Leitura digital durante a quarentena

Para incentivar a leitura durante os dias de pandemia, a Amazon ofereceu mais uma opção para fugir do tédio no isolamento social contra a COVID-19. A empresa disponibilizou 50.000 e-books que podem ser baixados gratuitamente.

No site oficial estão disponíveis grandes clássicos nacionais como Iracema, de José de Alencar, e Dom Casmurro, de Machado de Assim. Além de títulos internacionais como Hamlet, de William Shakespeare.

Na lista também aparecem best-sellers como Sejamos todos feministas, da autora nigeriana Chimamanda Ngozi Adichie. Ou o livro da brasileira Nathalia Arcuri, Me poupe: 10 passos para nunca mais faltar dinheiro.

Aliar internet com os livros é a melhor saída para manter hábito da leitura na quarentena
Mais notícias