Saiba como parar de fumar no Dia Nacional de Combate ao Tabagismo

O primeiro passo é acreditar em si mesmo

A luta contra o vício de fumar tem ganhado força nos últimos anos. O projeto de lei que proíbe o uso de narguilé em locais públicos atrelado a leis antifumo dão força às regulamentações da Anvisa (Agência Nacional de Vigilância Sanitária), que proibiu a adição de sabores em cigarros com o objetivo de estagnar e diminuir o número de fumantes no país.

Antes visto com glamour, o cigarro já pode ser considerado um dos principais vilões da qualidade de vida. Especialistas explicam que os malefícios do tabagismo são acumulativos e podem causar desde o mais variados tipos de câncer até doenças vasculares e no aparelho digestivo. Além das consequências já conhecidas pelos tabagistas, como a impotência sexual, o ato de fumar também piora o paladar e o cansaço.

Na mente do tabagista, de acordo com a Revista Exame, o cigarro é algo que proporciona prazer, relaxamento, diminuição da ansiedade, aumento da concentração, redução da fome, sensação de conforto, enfim, efeitos psicoativos muito favoráveis. Mas tudo isso é causado pelo efeito da nicotina no cérebro. São cerca de cinco mil substâncias tóxicas ingeridas em uma tragada e os impactos dessa bomba de substâncias nocivas são devastadores no corpo humano.

Como parar de fumar?

Conforme especialistas, o primeiro passo é acreditar em si mesmo. O fumante precisa pensar em coisas difíceis que já fez na vida para entender que tem coragem e determinação para acaba acabar de vez com o vício.

Peça apoio aos amigos e familiares. Deixar o tabaco pode causar irritação e mau humor, por isso, as pessoas próximas devem entender e apoiar sua decisão. O importante é não ter julgamentos.

Tente fazer atividades físicas. Ainda conforme a Revista Exame, o exercício alivia o estresse e ajuda o corpo a recuperar os danos de anos causados pelo cigarro. Se necessário, comece devagar com uma curta caminhada uma vez ou duas vezes por dia. Faça 30 a 40 minutos de atividade física, 3 ou 4 vezes por semana. Mas consulte seu médico antes de iniciar qualquer programa de exercícios.

A união faz a força. Encontre outras pessoas que também estão tentando parar de fumar e converse sobre experiências e dificuldades. Grupos de apoio nas redes sociais também podem ser um refúgio quando estiver prestes a colocar um cigarro na boca.

Beba muita água. A água será uma aliada na hora de limpar as substâncias químicas do corpo e também reduzir o “hábito oral” que o fumante tem.

Dia Nacional de Combate ao Fumo

Criado em 1989, o Dia Nacional de Combate ao Fumo é comemorado nesta quinta-feira (29 de agosto). O Inca (Instituto Nacional de Câncer) lembra que a data tem como objetivo reforçar as ações nacionais de sensibilização e mobilização da população para os danos sociais, políticos, econômicos e ambientais causados pelo tabaco.

Para as ações de 2019, o tema escolhido foi “Tabaco ou saúde pulmonar – o uso do narguilé” para advertir a população brasileira sobre os riscos de doenças pulmonares oriundas do consumo de tabaco e de seus produtos derivados.

Proibição na Capital

Em participação de sessão solene desta quinta-feira (29), o prefeito Marquinhos Trad (PSD), disse que apoia a decisão da Câmara de proibir o uso de narguilé em locais públicos, mas pede um prazo um pouco maior para regulamentar projeto.

Sancionado pelo prefeito em julho deste ano, o projeto virou a Lei 6.233. No entanto, foram vetados os artigos que tratam do prazo de 30 dias para regulamentação da lei e da obrigatoriedade de encaminhar ao Conselho Tutelar os menores de idade flagrados usando o narguilé.

De acordo com ele, foi comprovado por estudos que o uso do narguilé traz desconforto e prejudica a saúde de quem está ao redor dos fumantes. “Nós fizemos um estudo científico e técnico que o uso do narguilé, diferentemente de uma pessoa fumando um cigarro, traz um desconforto a quem está praticando atividade física. O uso do narguilé por cinco pessoas, corresponde a 100 pessoas ao mesmo tempo expelindo fumaça”.

Mais notícias