Reviva Cultura prova que é democrático e cai no gosto dos campo-grandenses

Famílias aproveitaram para ter um dia diferente de lazer

Diferente da rotina diária da área central de Campo Grande, o Reviva Cultura transformou os entornos da Rua 14 de Julho em um grande palco de atrações, neste sábado (31). Centenas de pessoas aproveitaram o dia de folga para prestigiarem as apresentações musicais, exposições artísticas, intervenções e dança.

Uma estrutura montada entre as ruas Cândido Mariano e Dom Aquino será palco das atrações musicais no final da tarde, que pretendem tornar o final de semana do público mais animado. Enquanto os shows não começaram, alguns campo-grandenses levaram os filhos para um dia diferente de lazer.

Erotildes Braulio levou a filha Erica Cristina, de 26 anos, para se divertir com o palhaço. A alegria da jovem, portadora de Síndrome de Down, contagiou a mãe, que não se controlou e também caiu nas brincadeiras e voltou a ser criança.

“Até eu subi e brinquei com o palhaço, foi muito divertido”, disse a idosa.

O Reviva Cultura Campo Grande mostrou que é um evento democrático. Renata Espíndola Trindade e o marido Carlos Augusto aprovaram o projeto da Prefeitura. O casal decidiu curtir as atrações culturais ao lado do filho Cairo, de 5 anos, e garante que não se arrependeu.

A mulher acredita que a Capital estava deficiente de lazer gratuito. “Muito bacana a estrutura montada para dar essa opção (de lazer), já que falta espaço para esse tipo de evento”.

Opinião também compartilhada pelo marido. Na opinião de Carlos, o programa também é um chamarisco para que as pessoas voltem a frequentar a região central. “Esse é um ambiente que vai dar resultado, vai renovar o comércio e a apreciação das pessoas que vem ao Centro.”

Reviva Cultura

De acordo com a secretária municipal de Cultura e Turismo, Melissa Tamaciro, o evento é uma reconceituação da área como shopping a céu aberto, com potencial para estender horário de atendimento e ocupação do espaço pela classe artística, como acontece aos domingos na Avenida Paulista, em São Paulo, e na Calle Florida de Buenos Aires.

“Queremos mostrar para a população, para os artistas e para os comerciantes que o Reviva Campo Grande vai permitir que uma nova fase se inicie, com potencial para um novo olhar da rua como ponto turístico. Queremos que as pessoas vivenciem o andar pelas calçadas, o entretenimento, o lazer, tudo num mix inovador”, pontua a secretária.

Serão 10 horas de programação intensa, começando às 9 horas com apresentações musicais, exposições artísticas, intervenções e dança, ações promovidas em conjunto com artistas independentes, como o DJ e produtor cultural Pablo Pacheco.

Mais notícias